Sergipe

03/09/2020 às 16h02

Aracaju vai disponibilizar doses da vacina Pneumo 23 aos profissionais de saúde

SMS

Atendendo a demanda do Ministério da Saúde para as capitais do país, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), disponibilizará para as unidades hospitalares públicas e particulares da capital, doses da vacina Pneumo 23. Conforme orienta o Ofício nº 337/2020 do Ministério, as doses serão destinadas aos profissionais de saúde dos hospitais, diante da “constante exposição a doenças infecciosas e muitas delas imunopreveníveis”.

A vacina pneumocócica 23 não previne a covid-19, pois age contra doenças provocadas pela bactéria pneumococo, como pneumonias e meningites.

“O município de Aracaju encaminhou ofícios para as instituições, solicitando a lista com os dados desses profissionais, para que a gente pudesse organizar logisticamente com se dará a liberação dessas doses. Já temos as listas de todas essas instituições hospitalares, públicas e privadas, e estamos entrando em contato com eles para pactuar a dispensação das doses e as orientações técnicas sobre a vacina”, explicou a coordenadora do Programa de Imunização da SMS, Ilziney Simões.

Ainda de acordo com a coordenadora, a vacinação será destinada aos profissionais com 50 anos ou mais, que estão atuando na linha de frente da covid-19. Pela devolutiva dos ofícios enviados às unidades, serão imunizados cerca de mil profissionais.

“O hospital vai receber as doses, realizar a vacinação e depois vai nos confirmar quais foram os profissionais que receberam a vacina. Com essas informações, faremos a inserção dos dados no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações”, ressaltou Ilziney.

Pneumo 23

A vacina Pneumocócica 23 foi criada e é disponibilizada pelo Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), destinada a grupos específicos.

“Por ela ser especial, não é ofertada nas nossas Unidades Básicas de Saúde. O indivíduo precisa apresentar um relatório, com a descrição das suas condições de saúde e que justifique o uso da vacina. Mas nesse momento, o Ministério da Saúde solicitou que aplicássemos nesses profissionais com 50 anos ou mais, de forma temporária. Ela não é uma vacinação que irá se tornar de rotina”, alertou a coordenadora do Programa de Imunização.

 


Fonte: SMS