Sergipe

01/09/2020 às 11h22

Testemunhas são ouvidas no caso do assassinato da cabeleireira em Socorro

Redação Portal A8

Foto: Reprodução Audiência Virtual
Aconteceu no final da manhã desta terça-feira (01), a primeira audiência sobre o  assassinato de Sabrina Silva Lima Gonçalves, de 36 anos, ocorrido no dia 06 de janeiro de 2020, na porta de uma academia do conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro. O principal suspeito é o ex-companheiro da vítima Samuel dos Santos, ele foi preso dois dias depois e confessou ter assassinado Sabrina, ele responde pelo crime de homicídio.

Devido a pandemia da Covid-19, a audiência foi virtual e  presidida pelo juiz titular da 1ª Vara Criminal de Nossa Senhora do Socorro, Marcel Maia Montalvão. Estiveram presentes também o promotor de justiça Raymundo Napoleão Ximenes Neto e a advogada de defesa do réu Helen Karyne Silva dos Santos.O Portal A8SE participou da audiência virtual e pode acompanhar os depoimentos.

A primeira testemunha a ser ouvida foi a filha da vítima, Gabrielle Lima, ela não presenciou o crime e informou como foram os dias que antecederam a morte da mãe e que a notícia chegou para ela, é que ele teria disparado três tiros e um atingiu de costas o ombro da mãe. No depoimento, ela contou que o relacionamento entre eles durou cerca de um mês e meio e que no começo falava que Samuel era uma boa pessoa, mas logo depois apresentou um comportamento possessivo. 

O proprietário da academia também foi ouvido na audiência, no processo consta como testemunha ocular do crime, ele estaria em um pavimento superior quando ouviu os disparos e foi socorrer a vítima. A ex-mulher de Samuel testemunhou a favor, segundo ela eles tiveram um relacionamento de 19 anos, e tinham uma relação de amizade até hoje, segundo ela, o acusado não teria apresentado comportamento agressivo durante o relacionamento deles.

No processo consta ainda que Samuel estaria indignado porque a ex-companheira teria terminado o relacionamento com ele e já teria voltado com ex-esposo, que também testemunhou rapidamente na audiência desta terça-feira(01).
O juiz Marcel Maia Montalvão, ainda vai marcar uma outra audiência de instrução sobre o caso.