Sergipe

30/07/2020 às 16h09

Sergipe tem saldo negativo de 684 vagas de emprego com carteira assinada

Fies

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Novo Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, revelou que houve saldo negativo de 684 vagas de emprego com carteira assinada no estado, em junho deste ano. O saldo de junho decorre da diferença entre 3.910 admissões e 4.594 desligamentos no período analisado.

Com o resultado de junho, o Estado registrou o desligamento de 14.227 empregos formais, no primeiro semestre de 2020.

Emprego por grupamento

A análise dos dados apontou que houve abertura de vagas em apenas dois dos sete grupamentos de atividades econômicas do estado. Foram os grupamentos da Indústria de Transformação e da Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, os quais registraram abertura de 529 e 118 postos de trabalho, respectivamente, no período.

Por outro lado, registraram fechamento de postos de trabalho  as atividades da Construção (-499 vagas), Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (-402 vagas), Serviços (-212 vagas), Administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (-111 vagas) e Outras Indústrias (-107 vagas).

Desempenho dos Municípios

Dentre os municípios sergipanos, o município de Laranjeiras registrou a maior criação de vagas de trabalho, no mês analisado, com 314 postos de trabalho criados, seguido de Japoatã (+60 vagas) e Frei Paulo (+51 vagas).

Já o saldo da capital, Aracaju, no mês de junho foi o de maior número de fechamento de postos de trabalho, com saldo negativo de 589 vagas. Em seguida estão Itabaiana (-76 vagas), Carmópolis (-74 vagas) e Nossa Senhora do Socorro (-70 vagas).

 


Fonte: Fies