Sergipe

24/02/2020 às 13h44

Sistema de vigilância eletrônica da Prefeitura já evitou 114 assaltos a prédios públicos

Agência Aracaju de Notícias
Composto de 1.977 câmeras instaladas em 159 unidades municipais, o sistema de vigilância eletrônica da Prefeitura de Aracaju, operacionalizado pela Guarda Municipal
Foto: André Moreira/PMA
(GMA), já evitou 114 assaltos a prédios públicos desde o início de sua implantação, em agosto de 2018. O último deles foi há poucos dias, quando um homem invadiu o prédio do Departamento de Educação Básica da Secretaria Municipal da Educação (Semed).
 
Após o arrombamento da porta do local onde estavam instalados os equipamentos de suporte para a realização da matrícula online, a ação rápida da Guarda frustrou a tentativa de furto e evitou prejuízo ao patrimônio do imóvel; detido, o homem responderá pelo crime de invasão e dano ao patrimônio.
 
Assim como esse prédio da Semed, outros 54 imóveis que atendem à Secretaria Municipal da Saúde, como as 45 Unidades Básicas (UBS); 33 instituições de ensino; 21 unidades da Assistência Social e outros 51 prédios da administração municipal, de diversas Secretarias, também são monitorados e acompanhados pelo sistema da Guarda.
 
"Temos uma média de 60 acionamentos mensais e já conseguimos evitar 114 furtos desde agosto de 2018. De lá para cá, também já foram 12 prisões em flagrante", revela o diretor-geral da Guarda, subinspetor Fernando Mendonça. De acordo com ele, após a instalação do sistema, a sensação de segurança aumentou consideravelmente, porque as pessoas sabem que o local está sendo monitorado e acompanhado. 
 
"Observamos uma queda muito grande no número de ocorrências, seja de roubo, de furto ou outros crimes onde há o videomonitoramento", reforça. Hoje, segundo o subinspetor Fernando Mendonça, as ocorrências nos prédios municipais estão mais relacionadas a conflito do que a crimes propriamente ditos.  
 
"É que pessoas com histórico de cometer crimes, que costumavam frequentar esses locais, deixaram de circular nos espaços a partir do momento em que sabem que estão sendo monitorados e acompanhados pela Guarda Municipal", justifica. 
 
Tempo-resposta
Segundo o diretor-geral Fernando Mendonça, um dos trunfos do sistema é o tempo-resposta de cada ação. "Ele é fundamental para o sucesso da operação, é ele que traz a segurança do sistema, porque se não chegarmos rápido, o crime vai se concretizar", ressalta. 
 
Nesse sentido, um levantamento da Guarda Municipal apontou que o tempo-resposta de atendimento, na madrugada, que engloba das 22h até as 6h, é de três minutos. Já durante o dia, o tempo vai para até 15 minutos. "Mas nunca chega a isso. Na prática, a média é de 9 minutos. Isso porque nosso planejamento distribui  as viaturas por área", esclarece.
 
São quatro áreas em toda a capital: Sul, Norte, Centro e Oeste. "A partir dessa setorização, a base mais próxima é acionada e sai para atendimento. Por isso o tempo de resposta é reduzido, porque há um planejamento, uma distribuição inteligente das equipes", destaca o subinspetor. Além do tempo para chegar, a guarnição também precisa de um tempo para organizar a abordagem. 
 
Isso é possível porque eles acompanham, em tempo real, o andamento da ocorrência, através dos tablets disponibilizados dentro das viaturas. "Nós é que temos o elemento surpresa agora, o que é muito importante e traz a eficiência do sistema", avalia. Segundo Mendonça, 18 viaturas ficam ativas por dia e os guardas são acionados pelos sensores que há nas câmeras.
 
Esses dispositivos emitem um alerta, silencioso, para a Central. Ou seja, a Guarda recebe o chamado, mas o invasor não sabe disso. "O sensor só funciona quando o prédio já está fechado, sem a movimentação habitual do expediente. Recebendo o alerta, a Central é notificada e passa a demanda para a viatura mais próxima, enviando o local exato e a imagem para que a guarnição já acompanhe a ação durante o deslocamento", explica. 
 
Para o subinspetor Fernando Mendonça, o investimento que a Prefeitura tem feito nessa área é muito importante e ajuda a dar mais um passo rumo à cidade inteligente, humana e criativa, meta do Planejamento Estratégico da Prefeitura de Aracaju. "Porque ao mesmo tempo em que melhora a segurança da população, também pensa na do próprio servidor", reitera. 

Fonte: Agência Aracaju de Notícias