Sergipe

18/01/2020 às 10h02

Polícia assegura planejamento de segurança nos jogos do Sergipão

Estagiária Yara Lima supervisionada pela jornalista Mayusane Matsunae

Com o início do Campeonato Sergipano a polícia já tem um planejamento pronto para o policiamento na capital e interior. De acordo com tenente coronel Fábio Machado, responsável pela comunicação social da Polícia Militar (PM), a estratégia é traçada junto com a Federação Sergipana de Futebol, que informa os locais dos jogos e quais times irão disputar.

Conforme contou o tenente coronel Fábio Machado, com base nos times e na quantidade de torcedores, é montada toda tática de segurança com o número de policiais e equipes que ficarão responsáveis pela segurança.

É necessário saber quais times vão compor o jogo durante o planejamento policial porque em dia de clássico, por exemplo, o estádio tende a estar mais cheio, com maior número de torcedores. Portanto, o aumento pede por um policiamento a altura. Já quando a partida é com times menores, o policiamento fica proporcional também, segundo detalhou o tenente coronel Fábio Machado.

Machado informou também que em dia de jogo, na verdade, existe um policiamento extra. Dessa maneira, não existe uma redução policial em outros pontos da cidade. O planejamento, no entanto, é feito com base nos policiais que estariam de folga – criando assim uma força a mais no estádio.

Já dentro do estádio, o tenente coronel da PM pontuou que sempre fica uma equipe do Choque, pois possui experiência na área do policiamento desportivo. Além disso, também há presença policial nos terminais de integração. A cavalaria da polícia também é escalada para atuar.

Na capital, o planejamento fica por meio do Comando do Policiamento Militar da Capital. No interior, a ação compete ao Comando de Policiamento Militar do Interior.

O Coronel Fábio concluiu lembrando que em 2020 a polícia conta também com um drone já usado no início do campeonato. Ele afirma que essa adição fará diferença no patrulhamento por poder identificar dentro dos estádios o que passa despercebido pela equipe policial.

 


Fonte: Estagiária Yara Lima supervisionada pela jornalista Mayusane Matsunae