Sergipe

04/10/2019 às 11h18

Sergipe é considerado o estado em situação mais grave com o aparecimento de novas manchas de óleo

Redação Portal A8

Foto: Cássia Lessa
As novas manchas de derivados de petróleo apareceram também na manhã desta sexta-feira (04), no bairro Coroa do Meio, em Aracaju (SE), agora em maior quantidade e com uma nova característica, a textura é mais pastosa, aparentando ser piche.

O cofundador do Projeto Sou Rio Vaza Barris (@souriovazabarris), Rodrigo de Freitas, divulgou as imagens nas redes sociais, após se assustar com o que viu. Segundo ele, o fato, talvez seja o maior desastre ambiental do Nordeste, com consequências inimagináveis. “Foi assustador perceber a grande mancha se aproximando, as autoridades precisam tomar as devidas providências.”, relatou Rodrigo.

Até semana passada, as manchas estavam concentradas apenas no litoral norte do estado. Mas agora, já apareceram nas praias da capital, em Aracaju, na praia dos artista, no bairro Coroa do Meio foi tomada por camadas de petróleo cru, como identificam a Petrobras e a Marinha.

A Administração Ambiental também encontrou as manchas na praia da Aruana e Rodovia dos Náufragos, do km 8 ao km 1. A maior preocupação dos órgãos ambientais ainda é com o litoral norte, que voltou a receber o derivado de petróleo. O superintendente do Ibama em Sergipe acredita que o estado de Sergipe já apresenta a pior situação do Nordeste, a preocupação é ainda maior, após os novos aparecimentos de manchas.

Quase todo o litoral do nordeste foi afetado pelo que já pode ser considerado um crime ambiental. Desde o início de setembro, o estado da Bahia, que ainda não tinha recebido notificações, nesta semana também foi surpreendido com o surgimento da substância na praia do Conde, o motivo do aparecimento das manchas ainda não foi descoberto.