Sergipe

22/11/2011 às 17h00

SE possui segundo melhor percentual de domicílios com saneamento adequado do NE

Redação Portal A8

Fonte (ASN)
Observatório de Sergipe divulga estudo que, com base no Censo 2010, aponta Sergipe com percentual de domicilios em situação adequada de saneamento acima da média do Nordeste. Em relação aos municípios, Aracaju e Carmópolis aparecem à frente.

Os dados do IBGE foram divulgados no último dia 16 e trazem informações sobre infraestrutura de acesso à rede de fornecimento de água potável, de esgotamento sanitário e de coleta de lixo, constituindo um indíce de adequabilidade do tipo de saneamento, buscando garantir um melhor dimesionamento das condições de saneamento básico dos domicílios brasileiros.

No estudo, foram consideradas as seguintes condições: domicílio com sanemento adequado (é aquele com escoadouro ligado à rede geral ou a fossa séptica, servido por rede geral de abastecimento e com destino do lixo coletado diretamente ou indiretamente pelos serviços de limpeza); domicílio com saneamento semiadequado (possui acesso adequado à, pelo menos, um dos serviços de abastecimento de água, esgoto ou lixo) e domicilio com saneamento inadequado (aquele não conectados à rede geral de abastecimento de água, ao esgotamento sanitário e nem tinham acesso à coleta de lixo).

Nordeste

Para a região Nordeste, foi constatado que 40,02% dos domicílios particulares permanentes estão com bons índices de adequabilidade ao saneamento. Em relação aos estados que compõem o Nordeste, observou-se que Bahia (47,69%), Sergipe (47,47%), Pernambuco (47,35%) apresentam os melhores desempenhos em relação à adequação de saneamento que, acompanhados de Paraíba (45,56%) e Rio Grande do Norte (41,97%), tem percentuais acima da média para o Nordeste.

Já entre os domicílios particulares permanentes com índices de inadequação quanto ao saneamento, Sergipe aparece com o segundo menor percentual nordestino, 9,43%. O estado do Rio Grande no Norte (7,93%) lidera e Pernambuco (12,07%) aparece em terceiro.

"Apesar de haver ainda uma disparidade entre os estados do Sudeste e Sul em relação ao restante do país, Sergipe chama a atenção por apresentar bons percentuais para o índice de adequabilidade, como também um baixo percentual de inadequabilidade", afirmou Walter Uchôa, Coordenador do Observatório de Sergipe.

Municípios sergipanos

Tratando a condição de saneamento em visões municipais/territoriais, constata-se que, apesar de cinco dos dez municípios com maiores índices de adequação de saneamento do estado se localizarem no território da Grande Aracaju, os municípios de Carmópolis (81,59%), Propriá (71,39%), Telha (65,23%) e Tobias Barreto (60,46%) aparecem entre os cinco primeiros em percentual de adequabilidade.

"Se cruzarmos esses dados com as políticas públicas na área de urbanização e saneamento adotados nos últimos anos, privilegiando a interiorização dessas políticas, provavelmente perceberemos um processo de causa-efeito", afirmou Oliveira Júnior, secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Analisando as informações espacialmente, nota-se uma concentração dos melhores índices de adequação na porção oeste, nos territórios do Alto Sertão, Agreste Central e Centro Sul, além do território Grande Aracaju.

Quanto à condição "semiadequado", os municípios do Baixo São Francisco e Leste Sergipano apresentam maior concentração, onde se verifica maiores índices na porção Nordeste, envolvendo os territórios Médio Sertão, Baixo São Francisco e Leste, evidenciando uma zona homogênea composta por todos os municípios do Médio Sertão e pelos municípios de Nossa Senhora das Dores (80,76%), Capela (75,55%), Japaratuba (79,90%), Japoatã (76,98%), Brejo Grande (80,50%), Neópolis (68,04%), Nossa Senhora de Lourdes (81,06%), Amparo de São Francisco (66,86%) e Pirambu (73,99%).

Já para a situação "inadequado", a zona mais homogênea com altos percentuais envolve os territórios Centro Sul e Sul, sendo composta pelos municípios de Cristinápolis (26,14%), Tomar do Geru (42,89%), Indiaroba (23,61%), Umbaúba (18%), Riachão do Dantas (42,62%) e Simão Dias (28,38%), Salgado (36,82%) e Santa Luzia do Itanhy (32,35%).

O Baixo São Francisco também demonstra um comportamento semelhante em sua porção mais litorânea, com Pacatuba (50,12%) apresentando o maior percentual de inadequablidade.

"Os estudos e pesquisas estão servindo de base para direcionar as políticas públicas estaduais. Exemplo disso é que para área de saneamento, os estudos prévios elaborados pelo Observatório de Sergipe em cima dos dados do Censo 2010 já evidenciavam a situação de Pacatuba, e em consequência disso, o governador, ao assinar convênio para saneamento básico de municípios sergipanos via Codevasf, inseriu esse município que terá 100% dos domicílios com saneamento básico", completou Oliveira Júnior.

Fonte: ASN