Sergipe

11/01/2010 às 19h48

Programa beneficia a preservação da Mata Atlântica no Estado

Redação Portal A8

O Programa de Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) da Mata Atlântica, coordenado pelas ONGs Conservação Internacional (CI-Brasil), Fundação SOS Mata Atlântica e The Nature Conservancy (TNC), apresenta o resultado de seu VIII Edital, que, no estado de Sergipe, beneficiou a RPPN Lagoa Encantada do Morro da Lucrécia, em Pirambu, preservando 18 hectares de Mata Atlântica. Ao todo, o edital destinará R$ 300 mil a 30 projetos de 10 estados que irão apoiar a criação de 31 novas RPPNs e o desenvolvimento de planos de negócios sustentáveis para 11 reservas já existentes.

De acordo com a coordenadora do Programa, Mariana Machado, a proteção em terras privadas da Mata Atlântica é um fator crucial para a conservação da floresta. "Cerca de 80% do Bioma se encontra em propriedades particulares que contribuem para a ligação dos blocos de floresta que estão separados", explica a coordenadora que ressaltou. "Os recursos são provenientes do Bradesco Cartões, Bradesco Capitalização e da Fundação Toyota do Brasil", relatou.

O Programa tem contribuído para aumentar em quase 50% o número de RPPNs no Bioma, mostrando, por um lado, o interesse de proprietários de terra com a conservação e, por outro, o grande potencial dessa categoria de Unidade de Conservação para fortalecer as políticas de proteção da Mata Atlântica. O edital abrangem as RPPNs dos corredores da Serra do Mar, Central, Ecorregião Araucária, Nordeste e outras regiões. Estudos indicam que, se adequadamente manejados, as áreas naturais presentes nesses corredores podem, em conjunto, proteger 75% das espécies ameaçadas da Mata Atlântica.

As propriedades contempladas no edital por meio da criação das novas reservas devem proteger 2.447 hectares e as que realizarão negócios sustentáveis protegerão outros 2.447 hectares em RPPNs já existentes no Bioma mais ameaçado do País. "Após a criação e apoio aos negócios sustentáveis das reservas selecionadas, o Programa irá colaborar com a proteção de cerca de 5 mil hectares da Mata Atlântica. Isso é reflexo das 91 propostas que recebemos. O resultado do edital foi excelente", reforça Mariana.

Sobre o Programa de Incentivo as RPPNs da Mata Atlântica


A iniciativa foi lançada em 2003, com recursos do CEPF (Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos) e do Bradesco Cartões, para apoiar projetos de criação e gestão de RPPNs nos Corredores da Serra do Mar e Corredor Central da Mata Atlântica. Os projetos são apoiados por meio de editais lançados periodicamente e esta foi a primeira linha de financiamento no Brasil a atuar diretamente em projetos de proprietários de reservas (pessoa física), com o mínimo de burocracia.

Em 2006, a parceria foi estendida à The Nature Conservancy (TNC) e passou a contar também com patrocínio do Bradesco Capitalização, o que permitiu ao Programa ampliar sua área de atuação para o Corredor do Nordeste e a Ecorregião Floresta com Araucária, além do lançamento de uma nova linha de financiamento de projetos por meio de Demanda Espontânea.

Fonte: Lead Comunicação