Sergipe

18/05/2020 às 14h07

43 municípios sergipanos registram índices de isolamento muito baixo

Agência Sergipe de Notícias

As medidas de isolamento e distanciamento social estabelecidas e incentivadas pelo Governo de Sergipe são respaldadas pela comunidade

científica como a ferramenta mais eficaz na prevenção e combate à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Prova disso é o estudo publicado pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) na última semana, que aponta que a redução da incidência da doença depende da adoção imperativa de uma taxa mínima de isolamento superior a 52%.

Segundo especialistas, a queda do índice de isolamento no último mês está diretamente associada ao aumento do número de casos do Coronavírus no Estado, que no sábado (16) ultrapassou o patamar de 3 mil. Os resultados da pesquisa da UFS atestam que o acirramento das ações de segurança sanitária implementado pelo Governo do Estado são a postura mais recomendável para este momento de alta na curva da pandemia.

“Foi observada uma relação inversa e estatisticamente significante entre os índices de isolamento social e o número de casos novos. Na indisponibilidade atual de uma vacina, medidas de isolamento e as mudanças de comportamento têm se mostrado cruciais na tentativa de impedir a propagação do vírus," conclui o coordenador da pesquisa, Paulo Ricardo Martins Filho. O pesquisador lidera o Laboratório de Patologia Investigativa da UFS,  que assina o estudo.

Dados

A pesquisa da UFS aponta que, no período entre 05 de abril e 13 de maio, o isolamento em Sergipe regrediu de 51,5% para 42,2%. Esta diminuição relaciona-se ao fato de que, a partir de maio, a média de aumento diário no número de casos confirmados foi de 15%. Para chegar à porcentagem mínima indicada de isolamento, segundo o estudo, é necessária uma ampliação de 10% em relação à média registrada atualmente, de 42%. Apenas com esse procedimento será possível desacelerar o avanço da doença e alcançar o declínio da curva epidêmica.

O trabalho conduzido pelo Laboratório de Patologia Investigativa utilizou como base o número de casos registrados nos boletins epidemiológicos fornecidos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) entre 21 de março e 13 de maio.

Dados mais recentes do boletim, datado de 16 de maio, mostram que 43 dos 75 municípios sergipanos registram índices de isolamento muito baixo (inferior a 50%) ou baixo (entre 50% e 59%). O boletim demonstra ainda que apenas três municípios estão aderindo de forma intensiva às determinações de isolamento estimuladas pelo Governo e alcançando a faixa reconhecida como ideal, que compreende índices de isolamento iguais ou superiores a 70%.

Governo

Em consonância com o estudo da UFS, a secretária de Estado da Saúde, Márcia Feitosa, reafirma a necessidade de que a população intensifique as ações de distanciamento seguindo as determinações do Governo. “Entendemos que o isolamento é a principal medida hoje para reduzir a curva e começar  a declinar a incidência de casos”, defende.

A secretária salienta que o Governo do Estado vem concentrando todos os seus esforços na contenção à pandemia a partir de um plano de ações integradas, investindo em novos leitos e equipamentos, no reforço das equipes e em políticas de controle. O êxito desse empenho, no entanto, depende da colaboração da população no sentido de incorporar as práticas individuais e coletivas de segurança determinadas pelo Governo através da Secretaria de Saúde com base nos protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS).


Fonte: Agência Sergipe de Notícias