Sergipe

15/04/2020 às 12h05

Governo começa a distribuir testes rápidos para coronavírus para os municípios sergipanos

SES/SE

O governo do Estado também comprou 34 mil testes, adquiridos no mercado internacional, que deverão chegar até o final do mês para ampliar as testagens para outros grupos prioritários

Os 75 municípios sergipanos começam a receber a partir desta quarta-feira (15), os testes rápidos para detectar a Covid-19. Serão distribuídos pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde (SES), 5.500 testes rápidos, que equivalem a 275 kits. O Ministério da Saúde (MS) recomenda, neste momento, a aplicação dos testes rápidos em trabalhadores dos serviços de saúde.

“É possível que com a realização dessas testagens, a gente identifique um número maior de casos positivos. Vamos iniciar ainda hoje os testes em trabalhadores da Saúde, podendo chegar à profissionais da segurança pública em atividade, bem como aos familiares que têm diagnóstico de síndrome gripal e residem com estes profissionais. Mas, assim que a gente receber outros kits do governo federal e os que estamos comprando - já autorizamos outra compra de mais 30 mil -, a gente deve chegar a pelo menos 100 mil testes rápidos”, informou o governador Belivaldo Chagas.

Segundo o infectologista da SES, Marco Aurélio Góis, os testes rápidos foram enviados pelo Ministério da Saúde, que fez uma planilha de distribuição para os municípios, mas que precisou ser readequada pela SES, considerando que nenhum município pode receber menos que 20, já que o kit é composto por apenas um reagente. “É um teste rápido, baseado na sorologia, que não tem a finalidade do diagnóstico na fase aguda da doença. Então, se a pessoa está com sintomas como tosse e febre, ela não é o alvo desse teste”, disse Marco Aurélio.

Os testes rápidos devem ser feitos após o sétimo dia do surgimento dos sintomas. O objetivo é detectar se aquele profissional adoeceu de coronavírus. Se o resultado for negativo, ele poderá voltar ao trabalho imediatamente. “Recomenda-se o afastamento por 14 dias de alguém que está com a síndrome gripal, suspeito da doença. Então com o teste a gente consegue que esse funcionário, se for negativo, retorne ao trabalho a partir do oitavo dia, não se perdendo tanto a força laboral nos serviços de saúde e segurança”, enfatizou.

O infectologista reforça que o profissional liberado deve manter as medidas de proteção contra a transmissão, como o uso da máscara e a lavagem e higienização das mãos de forma adequada. A Secretaria de Saúde irá enviar um vídeo educativo para todos os municípios, mostrando a execução do teste rápido. Segundo Marco Aurélio, os municípios já têm treinamento de teste rápido do HIV, sífilis e hepatites. O do coronavírus é bem parecido: utiliza-se uma gotinha de sangue da polpa digital.

O governo do Estado também comprou 34 mil testes, adquiridos no mercado internacional, que deverão chegar até o final do mês para ampliar as testagens para outros grupos prioritários.


Fonte: SES/SE