Sergipe

16/03/2020 às 08h18

Empresário é assassinado após confusão no centro de Aracaju

Redação Portal A8

Uma comemoração pelo aniversário de uma adolescente de 15 anos terminou em tragédia, na avenida Pedro Calazans, no centro de Aracaju. Do lado de fora da casa, um confusão acabou na morte de Adjean Santos Emídio, de 31 anos, assassinado com golpes de arma branca. Segundo testemunhas, o suspeito de ter tirado a vida do jovem morava em frente a esta casa, onde acontecia a festa.

A confusão começou quando a vítima foi estacionar carro do outro lado da rua, em frente a uma invasão, conhecida como Babilônia. Um deles teriam visto o suspeito maltratar um cachorro e tentou intervir,foi começou uma discussão e em seguida, as agressões.

O irmão da vítima,  contou que o suspeito não estava sozinho, ele teria recebido apoio de um grupo pessoas que estaria morando na invasão conhecida como Babilônia, no centro de Aracaju, o grupo teria jogado pedras em direção à casa e até furtado os celulares e objetos de valor dos convidados.

A mãe e o pai de Adjean ficaram feridos durante a confusão, receberam atendimento e passam bem, mas a mãe vai passar por cirurgia nesta segunda-feira.  Adjean tinha sonhos e queria voltar a ter um pequeno estabelcimento comercial na região, a loja de aparelhos eletrônicos seria inaugurada nesta semana.

 

Dez foram presos

Dez dos integrantes do grupo foram presos em flagrante pela Polícia Militar e encaminhados para a Delegacia Plantonista, onde foram feitos os procedimentos de flagrante. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa também acompanhou as primeiras informações e instaurou inquérito policial para responsabilizar os flagranteados pelo latrocínio, lesões corporais, danos ao patrimônio, roubos e furtos. Vale ressaltar que parte dessas pessoas invadiu o antigo prédio da Delegacia Plantonista de Aracaju, devolvido há mais de um ano e meio a seu proprietário, diante de um acordo feito perante o Poder Judiciário.

A Polícia Militar e Polícia Civil já realizam diversas prisões nas redondezas, seja por crimes relacionados com o tráfico de drogas, cumprimento de mandados de prisão por roubos e outros crimes. No entanto, vale ressaltar que o responsável pela ocupação do prédio é o seu proprietário, com a possibilidade de intervenção do Poder Público caso a propriedade privada não seja, em tempo razoável, utilizada com a sua ideal finalidade.