Sergipe

13/03/2020 às 17h38

Professores paralisam atividades a partir do dia 23 por tempo indeterminado

SINDIPEMA

Os profissionais do ensino de Aracaju, após assembleia realizada nesta quinta-feira (12), deliberaram adesão à greve geral da educação no próximo dia 18, paralisando as

Foto: Sindipema
atividades nas escolas do município. Em Sergipe, as centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais preparam um ato em defesa do novo FUNDEB, por uma educação pública de qualidade, pela garantia de direitos e em favor da democracia.

Após a greve geral, nos dias 19 e 20, os professores continuam mobilizados para expor à sociedade, por meio de panfletos, mídias e redes sociais, a verdadeira face da educação aracajuana.

A partir do dia 23 de março, a categoria paralisará as atividades sem data prevista para retorno. A desvalorização dos professores, situações precárias de trabalho, sem segurança e achatamento salarial causado pelo prefeito Edvaldo Nogueira, que se nega a cumprir a lei federal ao não reajustar o salário dos servidores, são alguns dos muitos problemas enfrentados pela categoria.

O SINDIPEMA repudia veementemente o descaso de Edvaldo Nogueira para com a educação e os servidores. Buscamos por diversas vezes discutir o reajuste salarial com o prefeito Edvaldo Nogueira, mas ele se nega a nos receber, se escondendo atrás de suas redes sociais.

Direitos e vantagens

Em reunião com a secretária de educação, Cecília Leite, a direção do SINDIPEMA reivindicou a liberação de professores para gozo de licenças para curso e licença prêmio. Outro tema discutido foi a progressão por nova habilitação. A secretária afirma que será normalizado ainda este mês. Caso não se cumpra, o sindicato entrará com ação judicial contra a Prefeitura de Aracaju, conforme definido pela categoria em assembleia.

Plenária

Ainda este mês, o SINDIPEMA realizará plenária, a ser ministrada pela CNTE, sobre a proposta do novo FUNDEB. A ação foi deliberada pela categoria.


Fonte: SINDIPEMA