Sergipe

10/03/2020 às 18h14

Maior maré alta do ano atinge áreas vulneráveis de Aracaju

Agência Aracaju de Notícias

A Prefeitura de Aracaju mantém suas equipes em atenção às demandas ocasionadas pela tábua da maré, que atinge, nesta terça-feira (10), a marca dos 2,40 metros, por volta

Foto: André Moreira/PMA
das 17h. Para proporcionar uma rápida assistência à população de áreas vulneráreis, as equipes da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), por meio da Defesa Civil, monitoram os pontos com histórico de inundação durante todo o período em que a maré chega ao seu volume máximo.

As marés altas estão previstas até a próxima quinta-feira, dia 12, com picos no início da manhã e final da tarde. Para ampliar a capacidade de escoamento dessas águas, a gestão municipal intensificou, nos últimos dias, os serviços regulares de limpeza e desobstrução do sistema de drenagem.

O secretário da Defesa Social e da Cidadania, Luís Fernando Almeida, indica que o trabalho vem ocorrendo de maneira intensificada e já apresenta resultados, como o rápido escoamento da águas.

"Pudemos observar que, assim que a maré começa a baixar, as águas fluem rapidamente pelo sistema de drenagem. Esse é o resultado de um trabalho preventivo, que envolveu o mapeamento e a limpeza de bueiros e canais das áreas, historicamente, vulneráveis", explica o secretário.

Com a previsão da maior maré do ano, na terça e quarta-feira, dias 10 e 11, as ações envolveram uma ampla comunicação com a população, para que as pessoas não fossem surpreendidas pelas inundações.

"Realizamos uma ampla campanha com o objetivo de alertar a população. Além do envio de mensagens através do serviço de alerta por SMS - 40199 -, realizamos panfletagem, veiculamos informações por meio de carro de som, e visitamos os pontos mais afetados nos horários críticos, de maneira a reduzir o tempo-resposta, caso a população necessitasse do nosso apoio, em caráter emergencial", destaca Luís Fernando.

O coordenador da Defesa Civil de Aracaju, major Sílvio Prado, pontua algumas medidas preventivas para redução de transtornos. "Indicamos que, nos locais mais vulneráveis,

Internauta
as pessoas adotem medidas que possam salvaguardar os seus bens, colocando em locais mais elevados e no caso dos carros, caso a garagem possua histórico de acúmulo de água, direcionar o veículo até um local seguro, até que a maré baixe", orienta.

Além disso, é preciso estar atento à sinalização de trânsito. "A SMTT atua nos locais onde o tráfego fica comprometido. Por isso, é importante ter atenção à sinalização e, sempre que possível, buscar rotas alternativas", salienta Sílvio Prado.

Os locais que possuem histórico de impacto em relação à elevação da maré são os bairros Treze de Julho, nas imediações da Praça da Imprensa e do canal da avenida Anísio Azevedo, assim como áreas do Bugio e do Conjunto Médici.

"Vale ressaltar que a situação perdura por, aproximadamente, 1h30. Nesse espaço de tempo a maré passa 30 minutos em sua capacidade máxima e, em seguida, começa a vazar. Logo a situação volta a normalidade", afirma o coordenador da Defesa Civil de Aracaju.


Fonte: Agência Aracaju de Notícias