Sergipe

03/03/2020 às 08h36

Prefeitura de Aracaju não concederá reajuste da tarifa do transporte coletivo em 2020

Redação Portal A8

O transporte público municipal de Aracaju não terá reajuste da tarifa em 2020. A informação foi anunciada pelo prefeito Edvaldo Nogueira, na noite desta segunda-feira, 2, pelas suas redes sociais. Segundo anunciou o gestor, a decisão foi tomada em reunião com o superintendente de Transporte e Trânsito, Renato Telles, e o secretário da Fazenda, Jeferson Passos, quando foi analisada a planilha de valores encaminhada pelas empresas de ônibus à administração.

"Após me reunir com os técnicos da SMTT, com o superintendente do órgão e com o secretário da Fazenda, decidi que não vamos conceder reajuste da tarifa do transporte coletivo este ano. Em 2020, a passagem continua R$ 4. A decisão foi tomada e encaminhada para o Conselho Municipal de Transportes, da SMTT. Ou seja, tarifa zero. Zero de aumento na tarifa do transporte, mostrando o nosso compromisso com os aracajuanos que utilizam o sistema de transporte público municipal", assegurou Edvaldo.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp) lamentou o posicionamento da Prefeitura de Aracaju através das redes sociais, de que não haverá reajuste tarifário para o serviço de transporte público coletivo.

Segundo a nota, a planilha tarifária, que informa os custos do serviço, foi enviada ao órgão gestor conforme diretrizes da Lei Municipal de Aracaju 1.761/91, que regulamenta a tarifa de ônibus. "São considerados na planilha todos os itens que implicam na tarifa - como combustível, mão-de-obra, peças, impostos, etc – e seus respectivos reajustes anuais.Foi também destacada a queda de 31% do número de passageiros pagantes, nos últimos cinco anos, e o acréscimo em 80% do número de gratuidades no mesmo período. Ou seja, para que haja sustentação do sistema de transporte é necessário o equilíbrio entre o número de passageiros pagantes e o custo para prestação do serviço, isso equiparado com uma tarifa que seja acessível à população, mas também garanta a sustentabilidade do setor do transporte", reforçou a nota.

O Setransp finalizou informando que com os custos sofrendo aumentos anuais e a tarifa congelada, o sistema de transporte público coletivo corre o risco de sofrer as consequências de um desequilíbrio financeiro,o que impossibilita investimentos necessários no serviço.