Sergipe

27/02/2020 às 18h28

Governo de Sergipe atualiza informações sobre Covid-19

SES

Em virtude da confirmação do primeiro caso de infecção pelo coronavírus no estado de São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), na manhã desta quinta-feira (27),

Foto: Valter Sobrinho
reuniu a imprensa sergipana em coletiva realizada no auditório do Centro Administrativo da Saúde (CAS), para atualizar as informações acerca do Covid-19 no estado, ressaltando a importância de unificar as informações quanto aos cuidados básicos neste momento de monitoramento e vigilância ampliada, a fim de evitar o contágio e, ainda, tranquilizar a população.

Fizeram parte da mesa o diretor-geral da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), Jorge Kleber, a diretora de Vigilância em Saúde da SES, Mércia Feitosa, o diretor-técnico do Hospital de Urgência (Huse), Wagner Andrade; a coordenadora da Rede de Atenção Pré-Hospitalar e Hospitalar da SES, Jurema Viana, a diretora clínica do Hospital Universitário de Lagarto, Everlyn Machado e o superintendente do Hospital Regional de Itabaiana, Waltenis Junior.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, neste fim de semana novos locais foram incluídos na lista como áreas de transmissão para o Covid-19, totalizando 16 países. São eles: China, Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Coreia do Sul, Coréia do Norte, Itália, Irã, Japão, Vietnã, Tailândia, Singapura, Camboja e Malásia. Pessoas que estiveram nessas localidades há, pelo menos, 14 dias e apresentarem febre e algum dos sintomas respiratórios como tosse, devem informar a Secretaria de Saúde do seu município para receberem as orientações necessárias.

“O dia de hoje é para colocarmos de forma clara a situação para o coronavírus. No Brasil há, atualmente, 59 casos notificados, 20 suspeitos e um confirmado em São Paulo. É importante que toda a Rede de Saúde esteja informada e alinhada sobre esse novo elenco de países, e estar atenta para acompanhar a evolução desse fluxo. Os laboratórios de referência para a realização dos testes são o Fiocruz, o Instituto Adolfo Lutz, com processamento nos laboratórios centrais de todos os estados. Quanto à amostra é importante ressaltar que não é de sangue, é uma coleta de swab orofaringe. Temos que ter o cuidado de essa informação ser passada corretamente”, explicou a diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa.

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), canal estadual de comunicação aberto que atende em regime de plantão 24h em todos os dias da semana, está disponível, principalmente, para o recebimento de notificações de casos pelos profissionais de saúde, mas funciona, ainda, para que instituições, hospitais, imprensa e a população em geral possam tirar suas dúvidas. O número do CIEVS é o 0800 282 282 2. Há, também, a Unidade de Resposta Rápida de Aracaju que recebe ligações no (79) 98107-5020. Um número de WhatsApp será disponibilizado nos próximos dias para que ninguém fique desassistido.

Após o término da Coletiva de Imprensa, um caso suspeito em Sergipe, de paciente que esteve na Itália há oito dias e apresentou sintomas para a doença, foi notificado e está sob investigação. A coleta de material foi realizada e as amostras encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e ao o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para análise do reagente ao coronavírus. A paciente está clinicamente bem e em isolamento domiciliar. O resultado dos testes está previsto para…

 Influenza x Coronavírus

Tanto a gripe quanto o Covid-19 são doenças respiratórias infecciosas de origem viral que podem se agravar até o óbito, causadas, respectivamente, pelos vírus influenza e o coronavírus.

 Segundo o médico infectologista da SES, Dr. Marco Aurélio Góes, clinicamente não é possível diferenciar uma doença da outra já que os sintomas são muito semelhantes. “O que diferencia muito agora é de onde a pessoa vem. Se ela veio de uma área de transmissão entra como caso suspeito e, além de ser coletado o material para o vírus influenza e outros vírus respiratórios, passa também a ser coletado material para ser feito o exame de coronavírus. Esse conceito muda se o Brasil passar a ser uma área de transmissão. Hoje não temos esse cenário”, disse.

 O médico comentou também que, com as medidas iniciais que o país tem tomado, espera-se que o vírus não entre no país de maneira explosiva. O Ministério da Saúde informou, por exemplo, que pode antecipar a Campanha de Vacinação contra a gripe.

 “Quando o vírus entra no país de forma explosiva, cria um grande problema para a sociedade de uma maneira em geral, não só para o setor Saúde. A vacinação contra o influenza não tem nenhum efeito prático sobre o coronavírus, mas antecipar a campanha para os grupos de risco ajuda a diminuir a circulação dos vírus concomitantemente, é um a menos circulando entre a população, o que pode facilitar na diferenciação”, concluiu Dr. Marco Aurélio.

Condições para que um caso seja considerado suspeito:

Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o novo coronavírus, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

 Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.


Fonte: SES