Sergipe

30/01/2020 às 19h02

Estudo do Sebrae aponta negócios promissores em 2020

Ascom/Sebrae

As atividades voltadas ao atendimento das necessidades básicas da população, como alimentação, serviços pessoais e moradia, são aquelas que devem mais se beneficiar da melhoria do cenário econômico e podem ser consideradas as mais promissoras em 2020. Isso é o que aponta o estudo ‘Negócios promissores” divulgado pelo Sebrae nesta quinta-feira.

A pesquisa revela que o cenário de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), redução do desemprego, inflação controlada, de um ligeiro aumento na taxa básica de juros e incremento da safra agrícola deve contribuir para uma expansão moderada do consumo. Isso tende a proporcionar oportunidades para os negócios voltados ao mercado interno.

No setor de Serviços, de acordo com o estudo, as expectativas são positivas para os pequenos negócios de serviços pessoais (cabelereiro, manicure, estética e beleza), serviços prestados às empresas (administração, vendas, serviços jurídicos e organização de feiras), na área da saúde (cuidadores, clínicas), educação (ensino superior, treinamento) e transporte (de cargas e passageiros).

Nos segmentos que atendem às necessidades básicas da população, continuam em alta as empresas que atuam no comércio de alimentos e de alimentação fora do lar (restaurantes e marmitas). Já na área da construção civil, os negócios dedicados às edificações, à manutenção, ao comércio de material de construção e serviços especializados têm boas perspectivas de crescimento.

Por fim, no segmento do agronegócio, o Sebrae aponta a possibilidade de um bom ano para os pequenos produtores rurais que atuam no comércio de cidades próximas às áreas de intensa produção agropecuária e no setor de máquinas e equipamentos.

Crescimento no número de MEI

No âmbito dos pequenos negócios, o segmento dos microempreendedores individuais deve continuar se destacando. Entre 2018 e 2019 o crescimento no número de pessoas que se formalizaram nesta categoria jurídica cresceu 11% no país, atingindo a marca de 9,4 milhões. Em Sergipe são 58,4 mil, com um crescimento de 10,8% no período.

Das 660 atividades com registro em CNAE de MEI, 339 cresceram acima de 10% ao ano em número de formalizações na média dos últimos quatro anos. Destas, 118 atividades (mais de 1/3 delas) estavam no setor de serviços.

“ Isso pode estar indicando uma tendência de mercado efetiva, em função de uma maior demanda da sociedade pelas atividades deste segmento. Como possíveis fatores que ajudam a explicar este movimento estão a recuperação de renda e/ou mudança no padrão de consumo. Assim, muito provavelmente, mantida essa tendência, essas atividades são candidatas a se manter destaque também em 2020”, explica o superintendente do Sebrae em Sergipe, Paulo do Eirado.


Fonte: Ascom/Sebrae