Sergipe

17/01/2020 às 16h11

Faixas exclusivas para ônibus favorecem a mobilidade urbana da Grande Aracaju

Motoristas garantem que faixas reduzem tempo da viagem em até 20 minutos

Fredson Navarro

Os motoristas e usuários do transporte público da Grande Aracaju defendem que as faixas exclusivas para ônibus oferecem conforto, segurança e rapidez durante as viagens.

Foto: Fredson Navarro
Eles comemoram o alívio de não ter que enfrentar um trânsito caótico, disputando espaço com os carros de passeio para transportar os passageiros. Apesar das faixas exclusivas serem aprovadas em diversas capitais do país, uma boa parte da população não respeita a via e invade o espaço destinado aos ônibus, levando problemas para a mobilidade urbana.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), informou que entre 2009 e 2019 houve um aumento de 57,7% no número de automóveis particulares circulando nas vias. Os carros ocupam 70% das vias e transportam menos de 30%. Já o transporte coletivo é responsável pelo deslocamento de mais de 70% das pessoas diariamente, ocupando menos de 30% do espaço viário.

Em faixas exclusivas, os ônibus aumentam sua velocidade em 40% gerando mais agilidade no serviço ao passageiro, o trânsito passa a contar com um melhor ordenamento, reduzindo, assim, acidentes e contribuindo para com uma melhor mobilidade urbana, através da fluidez no trânsito daquele que transporta a maioria da população. A Lei de Mobilidade Urbana 12.587/12 prevê investimentos na priorização do transporte coletivo nas vias para favorecer a mobilidade de todos.

“Só quem pode questionar as faixas é quem nunca usou. Mas é minoria porque cerca de 70% da população usa o transporte público. As faixas agilizam o trânsito e economizam combustível e logo poluem menos o meio ambiente. Os profissionais que trabalham nos ônibus sentem no dia-a-dia essa melhoria. Só aqui que a Justiça se posicionou contrária. As faixas funcionam bem em quase todas as capitais do Brasil”, garante a superintendente do Setransp, Raíssa Cruz.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte de Rodoviário de Sergipe (Sinttra), Miguel Belarmino, se manifestou a favor das faixas exclusivas e disse que se mobilizar a favor das faixas é se colocar do lado da população e garantir benefícios ao trabalhador.

“O Sinttra é a favor das faixas e entende que essas vias oferecem benefícios tanto aos motoristas quanto aos usuários. Reduz o tempo de viagem, o que facilita o trabalho do motorista de ônibus, que passa a não te de disputar espaço com os veículos particulares. “É importante lembrar que o transporte coletivo leva a maioria da população”, disse Belarmino. Ele questionou a posição do Ministério Público de não apoiar as faixas exclusivas.

Faixas reduzem viagens
Em Aracaju, a quantidade de carros é expressiva e supera o que ocupa nas vias a frota de ônibus que transporta mais de 70% da população da cidade. A média é de 40 carros, com 1,4 pessoas cada, para um ônibus com 50 pessoas.

O motorista Givaldo Ribeiro que opera na linha 040, fazendo o percurso Marcos Freire II – DIA, disse que as faixas exclusivas são de grande importância, principalmente para quem está guiando. Ele observou que o tempo de viagem diminui muito com as faixas e observou que se os carros pequenos respeitassem o espaço destinado aos ônibus seria muito melhor. “Nós ganhamos mais de 20 minutos no tempo de viagem, quando utilizamos a faixa. O percurso fica mais rápido e menos estressante. Tudo melhora. O que gostaríamos é que houvesse respeito a essas vias destinadas aos ônibus. O que não acontece”, reclamou o motorista. Ele relata, ainda, que em horários de pico, se as faixas fossem realmente livres e respeitadas, o trânsito fluiria bem melhor evitando maiores problemas e os usuários ficariam também satisfeitos. Givaldo disse também que no trecho próximo à rodoviária nova, na Avenida Tancredo Neves, os carros costumam invadir a faixa levando dificuldades para os ônibus.

Foto: Fredson Navarro
Para Jairo Passos Oliveira, que trabalha na Atalaia, e mora no Marcos Freire, o tempo de viagem é muito importante. Ele disse que com as faixas exclusivas sua vida ficou mais fácil e passou a chegar mais cedo ao trabalho. “Quando a via exclusiva está livre, o ônibus flui rápido e chego ao trabalho sem maiores problemas. Para mim é muito importante chegar cedo ao trabalho. Com as faixas, os ônibus são rápidos e conseguimos chegar em um bom horário”, disse Jairo. Ele lamentou que as faixas não sejam encaradas como uma grande solução para evitar os engarrafamentos diários na capital.

“As faixas estão aprovadas! Eu acho que foi a melhor coisa que já se fez para melhorar o trânsito em Aracaju. Esse é um problema antigo. A cidade tem carros em excesso e não consegue suportar o fluxo de veículos. Os ônibus que transportam a maioria da população, ficam sem espaço para fluir com rapidez. As faixas têm que ser respeitadas e quem não cumprir deve ser multado”, disse Márcio Lima, que mora no Bairro Santos Dumont, trabalha nas imediações do terminal DIA e faz todos os dias o mesmo trajeto. Com a faixa exclusiva, as viagens tiveram seu tempo reduzido.

Thiago Moura disse que as faixas são de grande importância para que o trânsito passe a fluir melhor. Para ele, as vias melhoram bastante o trânsito, evitando os engarrafamentos. “Eu atrasava muito quando não havia faixas e os ônibus seriam bem mais rápidos se as faixas fossem respeitadas. O que é preciso para ficar ainda melhor é que os infratores sejam multados. As faixas evitam que o ônibus transite em meio a engarrafamentos, dificultando a vida dos trabalhadores”, observou o passageiro. Ele disse, ainda, que Aracaju precisa ser como as grandes capitais, onde o transporte público é encarado como prioridade. “É preciso entender que ônibus é principalmente para os mais carentes, que são a maioria”, desabafou Thiago.

Polêmica
No dia 10 de julho de 2018, o Tribunal de Justiça de Sergipe decidiu que as faixas exclusivas para ônibus podem ser utilizadas por qualquer veículo. Mas, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju (SMTT) informou que as faixas só serão retiradas quando se esgotarem as possibilidades de interposição de recursos, isso quer dizer que como o processo está tramitando na Justiça, os veículos de passeio que utilizam a faixa exclusiva podem ser multados.

A SMTT informou que está recorrendo da decisão por acreditar que as faixas dão maior rapidez ao sistema de transporte público utilizado por aproximadamente 230 mil pessoas por dia. E disse ainda, que a retirada só deve acontecer após o trânsito em julgado do processo, que ocorrerá quando se esgotarem as possibilidades de interposição de recursos. Ou seja: as faixas exclusivas para ônibus continuam valendo das 6h da manhã às 20h de segunda a sexta-feira e a SMTT seguirá fiscalizando o uso adequado delas.

A circulação de veículos nas faixas exclusivas para transporte público em horários não permitidos é uma infração registrada pelos agentes de trânsito. A infração corresponde a pagamento de multa de R$ 88,38 e adição de três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O órgão de trânsito municipal esclareceu ainda que existe uma ação judicial, movida pelo Ministério Público do Estado (MPE), que pede o fim da fiscalização, sob o argumento de que as faixas foram anunciadas pela gestão anterior da Prefeitura de Aracaju como parte de um projeto de BRT que nunca teria existido.


Fonte: Fredson Navarro