Sergipe

10/01/2020 às 18h12

Operação Verão Mais Seguro atua no litoral sergipano

Estagiário David Almeida supervisionado pela jornalista Mayusane Matsunae

Durante os meses de dezembro a março, Sergipe se torna um dos estados escolhidos como rota de férias de verão. São as altas temperaturas, praias com águas mornas e areias finas que tornam um chamariz para banhistas e turistas, sendo assim, como forma de garantir a segurança dos frequentadores, o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) lançou a “Operação Verão Mais Seguro”.

De acordo com o chefe da seção de mergulho e dos guarda-vidas do CBMSE, Sinério Santos, o objetivo do trabalho é o da conscientização a todos os banhistas da capital, interior e turistas. “O período de atuação compreende do dia 22 de dezembro a 29 de março, e as frentes de trabalho contam com a atuação de 55 bombeiros cada dia. Os pontos de atuação são as praias da Coroa do Meio, Atalaia, Cinelândia, Aruana, Mosqueiro, Orla Pôr do Sol, Croa do Goré, Ilha dos Namorados, Viral e interiores do estado”, explica.

Para quem frequenta as praias em Sergipe, pode observar que as orientações têm início nas primeiras horas da manhã, com diversas ações, entre elas, a distribuição de pulseiras identificatórias. "O trabalho da equipe tem início às 7h30, onde os guarda-vidas apresentam- se no Quartel do Grupamento Marítimo (GMar) na praia e levam os materiais para os pontos estratégicos, a exemplo dos sinais de trânsito e Arcos da Orla realizando o trabalho de orientação que conta com a colocação de pulseiras identificatórias em crianças, contendo nome, telefone e informações do responsável, além da panfletagem. A preocupação não é apenas durante os meses de verão, mas durante todo o ano, pois para nós o que importa é que a prevenção seja feita de forma eficaz", reforça Sinério.

O chefe do GMar, ainda deixa um alerta para quem deseja curtir as praias durante a estação mais quente do ano. "A melhor maneira de evitar afogamentos, é a prevenção, porque quando você realiza a prevenção bem feita, você não precisa da ação, e o trabalho incansável dos guarda vidas da capital, é feito diariamente por viaturas que sinalizam e orientam, e consequentemente há uma redução no indíce de afogamentos fatais em Aracaju. A faixa etária que mais precisa de atenção, são os jovens entre 10 a 16 anos e pessoas que fizeram ingestão de bebidas alcóolicas", pontuou.

 


Fonte: Estagiário David Almeida supervisionado pela jornalista Mayusane Matsunae