Sergipe

07/01/2020 às 08h42

Organização criminosa cobrava “pedágio” para comerciantes trabalharem no Santa Maria

SSP/SE

Foto: SSP/SE
Após nove meses de investigações, a equipe da 9ª Delegacia Metropolitana desarticulou uma organização criminosa responsável pelo cometimento de homicídios, tráfico de drogas, roubos e extorsão a comerciantes do bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju.

De acordo com o delegado Gilberto Guimarães, que coordenou a operação, as investigações foram iniciadas no mês de março do ano passado, quando pessoas que foram vítimas de crimes contra o patrimônio resolveram denunciar a existência de um grupo criminoso que vinha aterrorizado os moradores do bairro, especificamente dos conjuntos Padre Pedro e Paraíso do Sul.

De posse de tais informações, os agentes iniciaram o trabalho de campo e confirmaram que alguns dos denunciados vinham, há alguns anos, extorquindo comerciantes a pretexto de garantir que seus estabelecimentos comerciais não fossem alvo de assaltos. Aqueles que se negavam a pagar eram roubados por integrantes do próprio grupo, via de regra assaltos praticados por adolescentes.

“Paralelamente à cobrança de “pedágio”, os criminosos cometiam homicídios, traficavam drogas e corrompiam adolescentes, muitos dos quais arregimentados para execução de tarefas dentro na organização como a arrecadação de taxas; entrega de entorpecentes e execução de roubos”, explicou o delegado.

Com apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) da Polícia Civil, toda atuação do grupo foi devidamente mapeada e, com base na prova coletada, foram solicitados à Justiça os mandados de prisão, todos devidamente cumpridos. Foram presos Márcio Dourado dos Santos; Adrian Alexandre Matos Rezende; José Franca da Silva Rocha e Adson Gabriel Batista dos Santos. Um quinto integrante da organização identificado como Guilherme Nunes dos Santos foi alvejado durante um confronto com os policiais civis e veio a óbito.

Também foram identificados e devidamente apresentados à Justiça, cinco adolescentes que integravam o grupo e praticaram condutas análogas aos crimes de roubo, tráfico de drogas e extorsão.

O delegado Gilberto Guimarães informou, ainda, que desde que assumiu a titularidade da Delegacia do Santa Maria, ouvia comentários de que um grupo criminoso comandava as ações no bairro e achacava comerciantes no intuito de dar proteção a seus estabelecimentos. “Esses criminosos impunham o terror na região, cometendo homicídios como forma de estabelecer o poder pela força e impor o medo à população. Aos poucos fomos identificando algumas dessas lideranças e retirando-as do convívio social. Alguns foram presos, outros entraram em confronto com a polícia e não resistiram. Mesmo encarcerados, observamos que alguns desses líderes continuavam a manter contato com seus “subordinados,” determinando a cobrança do chamado pedágio, dinheiro com o qual adquiriam droga e armas para manter um ciclo pernicioso do crime na localidade”.

Gilberto enalteceu o trabalho dos investigadores e disse que “esta operação representa um marco para uma delegacia de bairro, cujas dificuldades estruturais são imensas, mas toda a equipe não mediu esforços para, durante mais de quatro meses, se debruçar sobre uma investigação deste porte. Não à toa, os resultados estatísticos há quatro anos consecutivos, desde que assumimos a unidade, revelam queda vertiginosa nos índices de criminalidade na região”, comemorou.

 

Apreensão

Além das prisões e apreensões, os investigadores apreenderam em poder dos criminosos: um veículo Palio Weekend e duas motocicletas, roubadas; três revólveres calibre 38, meio quilo de maconha e quatro aparelhos celulares produtos de roubo.


Fonte: SSP/SE