Sergipe

19/10/2019 às 12h36

Por que é tão importante falar sobre longevidade? Especialistas respondem

Assessoria

Foto: Valéria Santana
O assunto foi tema de uma palestra, realizada este fim de semana, e reuniu profissionais da área médica, farmacêutica e de uma clínica de Aracaju. O nutrólogo, Ueslhei Gama, chamou atenção para os cuidados com a saúde independentemente da idade que a pessoa tenha. "A melhor idade para começar a mudar os hábitos alimentares, praticar atividade física e melhorar a saúde é idade que você tem agora. Não deixe para mudar pela dor, mude pelo amor à você”, explicou o médico.

Bem estar físico, mental, social e ambiental são alguns dos fatores para o emagrecimento e a longevidade. Hoje, o açúcar é um dos principais riscos para a saúde e, em mulheres, aumenta em 22% as chances de câncer de mama. Uma recomendação estabelecida pela OMS é que até os seis meses o bebê se alimente apenas do leite materno, isso porque uma pesquisa realizada revelou que alimentos para crianças de até dois anos são ricos em açúcar. "Portanto a longevidade começa ainda quando somos embriões. 70% da longevidade é influenciada pelo fatores ambientais como alimentação, exercício físico e ausência de vício. 30% é a combinação genética", explica o médico Ueslhei

Durante a palestra o médico também chamou atenção para alimentos que ajudam a combater o câncer e são ótimos antiinflamatórios, como abacate, curcuma, limão, brócolis entre outros. E acrescentou que, existem cinco hábitos diários que também podem ajudar no processo de emagrecimento e longevidade: Acorde positivo; Não reclame; Pratique os 3 as - água, alimentação saudável, atividade física; Doe amor, ajude mais e Durma feliz.

A costureira Maria Goreti, revela o medo de evelhecer doente. "A gente envelhece tão rápido, sabe o que tem que fazer e mesmo assim não se cuida. Amei ouvir todas as dicas do médico". Já a aposentada, Evanilde Alves, diz que mudou pela dor e hoje se cuida pelo amor. "Melhorei muito depois que mudei os hábitos. Mudei minha alimentação E passei a fazer atividade física. Eu que sofria com inflamação, colesterol alto e era sedentaria, tudo mudou. Hoje tenho saude e vivo muito bem".

Além de conhecimento, a palestra também contou com a solidariedade. O valor pago pela inscrição e os alimentos arrecadados serão entregues a uma instituição de caridade de Aracaju. Para a farmacêutica, Priscilla Santana, essa é mais uma oportunidade de retribuir e praticar um dos pilares da saúde, que é a o ato de doar. "Sempre fazemos esse tipo de evento, assim, reafirmamos nosso compromisso com a responsabilidade social, o bem-estar e a qualidade de vida, queremos que o nossos conhecimentos gerem ainda mais valores para a comunidade, nessa ocasião, escolhemos o externato São Francisco que acolhe mais de 100 crianças, que são acolhidas e cuidadas enquanto as mães trabalham".


Fonte: Assessoria