Sergipe

21/05/2019 às 15h41

Prefeitura intensifica ações de combate ao Aedes aegypti no bairro Santo Antônio

Agência Aracaju de Notícias

Desde o início da semana, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), tem enviado equipes de agentes de combate às endemias ao bairro

Foto: Ascom/SMS
Santo Antônio para promover ações de controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A intensificação faz parte do planejamento de reforço de ações nos dois bairros classificados como de alto risco no último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa): Santo Antônio e Bairro Industrial.

"Nesta semana, estamos intensificando as ações de visitas domiciliares, orientações sobre como evitar os criadouros do mosquito e aplicando o fumacê costal. No próximo sábado, 25, haverá o mutirão de combate ao Aedes nas casas que durante a semana estiverem fechadas. Já na próxima semana, a partir do dia 27, faremos as mesmas ações no Bairro Industrial", informou o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti da SMS, Jeferson Santana.

No Santo Antônio, a concentração de focos tem ocorrido em duas principais regiões: no loteamento São Sebastião, próximo à Unidade Básica de Saúde (UBS) Cândida Alves, e nas imediações da Igreja do Espírito Santo. Já no Bairro Industrial, de acordo com o levantamento das equipes, os focos estão espalhados por todo bairro. Porém, uma coisa em comum é que a maioria deles foi encontrada nos quintais das residências.

"Encontramos nos brinquedos da crianças, nos potinhos de margarina, em bacias. As pessoas precisam ficar alertas, pois, neste período de chuvas, muitas acabam não prestando atenção ao próprio quintal e esquecem para derramar a água acumulada. É aí que o Aedes está crescendo. A orientação que damos ao nossos agentes é de que, durante as visitas, eles mostrem às pessoas para incentivar a participação ativa, pois cabe ao morador fazer a verificação diária para evitar novos criadouros", disse Jeferson.

Outra orientação é a de sempre usar repelente. "As pessoas não devem desgrudar do repelente. E se aparecerem os sintomas, como febre, dor de cabeça, não devem se automedicar. É necessário procurar um médico e os profissionais de saúde não devem se esquecer de notificar, pois é através das notificações que desenvolvemos as estratégias de atuação", enfatizou o coordenador.

Outras ações

O Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti já realizou várias ações para o controle do mosquito este ano. Entre elas, oito mutirões de controle aos sábados nos bairros de maiores índices; 30 aplicações de inseticidas em pontos estratégicos; 2.634 pontos estratégicos trabalhados a cada 15 dias; 20.935 pneus coletados nos bairros; 35.600 imóveis trabalhados durante bloqueio de casos com fumacê costal; aplicação do fumacê na áreas dos blocos de Carnaval; 290.789 visitas domiciliares e 8.022 vistorias em terrenos baldios.

Além disso a SMS, através da Vigilância Epidemiológica, realizou buscas ativas de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya; capacitação de profissionais de saúde no atendimento dessas doenças; capacitação dos agentes comunitários de saúde em Vigilância em Saúde Ambiental, e investigação de casos. 

"Tivemos ainda a parceria com a Rede de Atenção Primária e as equipes de Saúde da Família nas escolas, através do Programa Saúde na Escola (PSE), onde a Secretaria Municipal da Educação faz parte, com seis grandes ações do Projeto Canto Limpo. Outra parceria foi com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) por meio do Cata Treco", acrescentou Jeferson.


Fonte: Agência Aracaju de Notícias