Sergipe

03/05/2019 às 18h55

Presos envolvidos em roubo a agências bancárias em Umbaúba

SSP/SE

A Polícia Civil, por meio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e apoio da Divisão de Inteligência, prendeu nesta quinta-feira (2), dois homens responsáveis pelas explosões e subtração de quantias em dinheiro das unidades do Banco do Brasil e do Banese localizadas na cidade de Umbaúba. O crime foi registrado na madrugada do mesmo dia, e como resultado estão presos o alagoano Maciel Pereira de Macedo, 41 anos; o sergipano Ginaldo Santos do Nascimento, 47 anos, e a baiana Maerla Martins Barros, 25 anos.

"Imediatamente após termos conhecimento das explosões, seguimos ao município de Umbaúba e constatamos a situação onde os indivíduos se dirigiram aos cofres destas agências e mediante uso de explosivos conseguiram subtrair numerário de ambos os bancos. Foram feitas diligências na localidade e constatado que os indivíduos utilizaram um veículo Hilux, de cor preta; e de uma motocicleta também de cor preta. Percebemos nas imagens que obtivemos cerca de seis a oito indivíduos, todos encapuzados e utilizando forte armamento. Diversos disparos de arma de fogo foram efetuados na tentativa de intimidar a Polícia Militar e percebemos que a fuga dos indivíduos se deu pela avenida Benjamin Constant, em direção ao município de Indiaroba", destacou Dernival Eloi, diretor do Cope.

Ainda segundo as investigações, o automóvel utilizado na ação foi queimado na cidade de Conde/BA, e posteriormente conseguimos identificar na zona rural de Cristinápolis uma residência onde cerca de dez indivíduos haviam sido observados pela população em atitude suspeita. "Recebemos a informação, via Disque Denúncia 181, de que estes indivíduos estavam em uma Hilux de cor preta, então de imediato nos deslocamos ao município e localizamos o proprietário da residência. A informação foi de que a casa havia sido alugada a um grupo de Alagoas e as três prisões ocorreram no local", completou Dernival Eloi.

Além do Cope e Dipol, atuaram também nas prisões policiais civis da Delegacia de Cristinápolis. O trabalho investigativo continua com o objetivo de prender os demais integrantes da organização criminosa.


Fonte: SSP/SE