Sergipe

23/03/2019 às 16h25

Feira Agropecuária movimenta o agronegócio sergipano

Assessoria Senar/SE

 

Foto: Assessoria Senar/SE
A 7ª Feira Agropecuária do Estado de Sergipe está movimentando o agronegócio sergipano com uma programação de palestras, oficinas de queijos, corte de cordeiro, casqueamento, máquinas agrícolas, leilões e 1ª Mostra de Economia Criativa. Cerca de 80 expositores dos estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Piauí estão expondo animais.

Foram expostos durante a exposição, 600 animais para visitação sendo 300 bovinos, 150 equinos e 150 ovinos e caprinos. O maior evento agropecuário tem uma previsão de negócios na ordem de R$ 3 milhões com a comercialização de animais, máquinas, implementos, insumos, serviços e outros.

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe – Faese, Ivan Sobral, afirma que a 7ª Faese superou as expectativas. “O evento foi um sucesso e com certeza é a maior exposição agropecuária do estado de Sergipe atraindo criadores de vários estados do Nordeste”.

Expositores

O produtor do município de Itabaiana, Luiz Góis, é um dos expositores da 7ª Faese e trabalha há 20 anos. Ele destaca que a exposição é um balcão de negócios.

“Trabalho há 20 anos com gado. A exposição é um balcão de negócios, uma forma de fomentar o agronegócio da pecuária de leite ou de corte, a equinocultura, maquinário, caprinocultura. Toda variedade de criação. Esta exposição atrai a massa crítica do agronegócio. Aqui estão os compradores, pesquisadores, investidores, vendedores, além a troca de informação e condição de avaliar o seu rebanho perante outros rebanhos A exposição oferece tudo isso a gente”, afirma.

O produtor Gustavo Barreto é o responsável pelo leilão 3 Histórias, que acontece pela segunda vez. O leilão é um dos principais momentos da exposição, pois é o momento em que os animais são comercializados.

“Aqui a gente realiza vários negócios. Ano passado fizemos o primeiro leilão 3 Histórias com as três raças: Nelore, Guzerá e Santa Gertrudis. Comercializamos animais para Bahia, Alagoas e Pernambuco. É um intercâmbio bom de genética e pessoas de outros estado vêm nos visitar”.

Oficinas de queijos e cortes

A Feira Agropecuária também ofereceu oficinas de queijos, cortes especiais, casqueamento equino e odontologia equina. O instrutor das oficinas de queijos artesanais e cortes especiais destacou o conteúdo abordado durante as oficinas.

“A oficina de queijo veio não só para mostrar a técnica. A produção é a parte mais fácil do processo. Entendo que o objetivo maior é esclarecer ao público o que está por trás do queijo, o mercado, geração de emprego, cuidados sanitários. A outra oficina é a de suíno, que é uma novidade porque sempre trabalhamos a parte de cordeiro. Suíno tem cortes espetaculares. As origens do bacon, presunto de parma, copa, são produtos processados que vedem aqui e precisamos conhecer como ele é tirado, a limpeza. É a carcaça da cadeia animal com os cortes bem bonitos”, explica Portela.

Artesanato

A a 1ª Mostra de Economia Criativa é a novidade da Feira Agropecuária. Aproximadamente 20 stands fazem da mostra que oferecem ao público artesanato, doces, plantas e outros.

A artesã Josi Correia está expondo pela primeira vez. Ela afirma que a feira é uma vitrine para o artesão. “Faz três anos que trabalho como consultora criativa e em feiras. Participo de muitas feiras. Expor na feira é ter o reconhecimento do meu trabalho. Acabei me tornando MEI a partir das feiras. Uma área de gosto e estou seguindo adiante como empreendedora”.

O evento conta a realização da Faese, patrocínio Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Sergipe (Senar/SE), Banco do Nordeste, Natville, Frigoserrano


Fonte: Assessoria Senar/SE