Sergipe

03/01/2019 às 09h59

Corpos da tragédia em Malhada dos Bois são liberados e polícia investiga o caso

Com informações da SSP/SE

Na manhã desta quinta-feira (03), os corpos da tragédia no município de Malhada dos Bois foram liberados pelos familiares. No Instituto Médico Legal muita dor pela perda repentina. Segundo o pai de Márcio Vieira, uma das vítimas, ele já fazia esse tipo de limpeza como bico, mas ele trabalhava mesmo como catador de laranja. Segundo ele, o filho passou mal e os outros dois foram ajudar e também acabaram morrendo dentro do túnel de óleo diesel em um posto de combustível, no Povoado Cruz das Donzelas, município de Malhada dos Bois, no final da tarde da quarta-feira (02).

Investigação

Os policiais civis, lotados no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Malhada dos Bois, auxiliaram no resgate dos três homens que estavam no interior de um tanque de óleo diesel. Os policiais estavam na sede do Cisp, situada em frente ao posto, quando perceberam uma movimentação estranha no estabelecimento. No local, os agentes constataram que dois homens, que tinham descido para limpar um tanque de óleo diesel, e um borracheiro, que também havia entrado no compartimento para ajudar a dupla a sair, haviam passaram mal.

Diante da cena, policiais civis e populares trabalharam juntos e retiraram os três homens do tanque. O Corpo de Bombeiros, juntamente com o Samu, tentou reanimar as vítimas, mas uma delas, identificada como Douglas dos Santos, de 26 anos, veio a óbito ainda no local. Os outros homens, José Márcio Vieira dos Santos, de 34 anos, e o borracheiro Leandro Cerqueira Santos, de 38 anos, foram levados ao Hospital de Propriá, mas também não resistiram e vieram a óbito.

Na noite de ontem, a delegada Maria Zulnária, que preside o inquérito, esteve na cena do crime, fez os primeiros levantamentos e constatou que o proprietário do posto havia contratado uma empresa para a limpeza do tanque, que, por sua vez, chamou dois moradores da cidade de Muribeca, Douglas e José Márcio, aparentemente sem experiência, para a execução do serviço.

Segundo a delegada, a perícia constatou que os trabalhadores não utilizavam Equipamentos de Proteção Individual adequados e que o serviço estava sendo realizado em desacordo com o que prega a Norma Regulamentadora 33, que versa sobre trabalho em ambiente confinado.

Ainda na área do posto, a delegada Maria Zulnária intimou testemunhas e outros envolvidos, que serão ouvidos na terça-feira, 8, na Delegacia de Malhada dos Bois. As ouvidas serão realizadas apenas na terça por conta do estado emocional dos familiares.


Fonte: Com informações da SSP/SE