Sergipe

07/12/2018 às 17h47

Peritos realizam mutirão para analisar drogas apreendidas no Estado

SSP/SE

Com a renovação da estrutura do Instituto de Análises e Pesquisas Forenses (IAPF) e a contratação de novos peritos criminais, cresceu o número de serviços prestados, principalmente nos laboratórios de química, onde são analisadas diversas substâncias diariamente. A partir disso, os peritos realizaram o primeiro mutirão voltado para as drogas que foram apreendidas no Estado.

O perito criminal e coordenador do laboratório de química do IAPF, Nailson Correia, explica como surgiu a Ideia de realizar esse mutirão. “Após percebermos que o número de apreensões de drogas estava aumentando muito, não só de drogas tradicionais como a maconha e a cocaína, mas também o aumento de drogas sintéticas, sentimos a necessidade de realizar esse primeiro grande mutirão para poder dar uma aceleração maior nos termos de análises desses laudos”, relatou.

O trabalho dos peritos exige muita técnica e cuidado e muitas vezes o trabalho requer um tempo maior. “Nós temos equipamentos de alta tecnologia, mas muitas vezes nós encontramos apreensões de 900 mil trouxas de maconha, por exemplo, e temos que contar e analisar uma por uma, ver a massa bruta, a massa líquida, verificar se realmente essa substância se trata de maconha, ou se tem alguma outra mistura. Assim, acaba exigindo um tempo maior de análise”, explicou, Naílson Correia.

Ao todo, 12 profissionais altamente qualificados atuaram nesse primeiro mutirão e, de 466 amostras de drogas, 160 foram analisadas em apenas um dia. A intenção é dar continuidade a esses mutirões fazendo com que acelere cada vez mais o trabalho da polícia. "Nós trabalhamos em parceria, perito criminal não pode ser só de laboratório ou só de local de crime nós trabalhamos unidos, trocando informações e conhecimentos, com um único foco, a busca da prova material e assim ajudar o trabalho das forças policiais do estado”, concluiu o perito.

Números

A soma geral de drogas orgânicas apreendidas nos últimos quatro anos alcança a marca de 4948130,73 gramas entre maconha, cocaína, crack e haxixe. Dentre as quatro citadas, a maconha com 4718975,6 gramas e a cocaína com 176670,71 gramas apresentam as maiores quantidades somando os anos de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Seguindo o mesmo período para as drogas sintéticas, já foram apreendidas ao todo 9.513 unidades. A maioria delas é de ecstasy: 9.413 unidades. O restante se divide entre LSD e lança perfume.


Fonte: SSP/SE