Sergipe

08/11/2018 às 14h14

Prefeitura disponibiliza EJA para aracajuanos que querem concluir Ensino Fundamental

Agência Aracaju de Notícias

Determinação é a palavra que define dona Maria Cristina da Silva. Ela tem 51 anos de idade, mora no bairro Cidade Nova e estuda na Escola Municipal de Ensino

Foto: Walter Martins
Fundamental (Emef) Olga Benário, no Santos Dumont. Ela é das alunas mais aplicadas e costuma chegar à instituição de ensino bem antes de a aula começar. “Quando dá 15h30 da tarde eu começo a me arrumar em casa para não atrasar. Chego por volta das 17h30. Eu gosto muito das aulas, venho todos os dias. Meu sonho é fazer faculdade de Engenheira Civil”, contou.

Maria Cristina ficou afastada da sala de aula durante 30 anos. Ela parou de estudar na 2ª série do Ensino Fundamental, e, atualmente, busca concluir a etapa através da Educação de Jovens e Adultos (EJA). “Eu nunca me interessei pelos estudos, mas Deus tocou no meu coração para eu voltar. Estou muito feliz por estar aqui com os colegas aprendendo. Faço questão de ensinar o que sei e prestar atenção nas matérias que sou mais fraquinha”, colocou. 

História parecida tem Bárbara Keliane dos Santos Luz, estudante da Emef Sabino Ribeiro, situada no bairro 18 do Forte. A aracajuana pretende ingressar na faculdade de Nutrição, mas, antes, precisa concluir os estudos na escola. “Eu parei de estudar depois de concluir o 7º ano e parei por motivo de saúde. Hoje, de volta à sala de aula, sonho em cuidar das pessoas, na área da saúde. Por isso, comecei na EJA no início de 2018 para finalizar o 8º e 9º anos”, explicou, contente.

Na Emef Sabino Ribeiro são 82 alunos, distribuídos em quatro turmas.  Para a diretora, Greice Kelly Souza Almeida, essa é uma ótima oportunidade para que os alunos concluam o Ensino Fundamental em um breve período de tempo.  “A conclusão dos estudos vai facilitar a busca por uma vaga no mercado de trabalho, que hoje é tão competitivo. Eu acredito inclusive que os alunos percebem essa necessidade, e, por isso, retornam. Alguns precisam concluir por causa da exigência do mercado e outros pela busca do conhecimento", disse.

Como funciona

Foto: Felipe Goettenauer
A EJA é uma modalidade de ensino da Educação Básica que se destina àqueles que não foram alfabetizados ou não concluíram os estudos. É ofertada em escolas da rede municipal. Em Aracaju, são 3.304 alunos matriculados, distribuídos em 19 instituições. As aulas são gratuitas, presenciais e ocorrem de segunda a sexta-feira. A idade mínima para se matricular é igual ou superior a 15 anos. “A EJA é dividida em ciclos e etapas. O primeiro ciclo vai do 1º ao 3º ano. No segundo, o aluno estuda o 4º e 5º anos. Depois, caso ele queira completar o Ensino Fundamental, precisa cursar as quatro etapas, que vão do 6º ao 9º anos”,  informou a coordenadora da EJA da Secretaria Municipal da Educação (Semed), Ana Izabel de Moura.

Possibilidade

A Semed inovou, este ano, ao oferecer duas turmas no turno vespertino. As aulas ocorrem na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Professor José Antônio da Costa Melo, localizada no bairro Getúlio Vargas. “As escolas só ofertavam EJA à noite. Ao realizarmos uma pesquisa referente à procura por matrícula nessa modalidade, diagnosticamos que seria viável a oferta também no turno diurno. A diretora da Emef Costa Melo, acreditando que daria bons resultados, já se dispôs a oferecer neste ano de 2018 duas turmas no turno vespertino”, colocou a coordenadora da EJA.

 

Novidade

Para erradicar o analfabetismo na capital sergipana, a Prefeitura de Aracaju inseriu no Planejamento Estratégico, como prioridade a ser executada pela Semed, a implementação do “Aracaju Alfabetiza”.  O projeto vai ser executado em consonância com a EJA. “Ele será colocado em prática no ano que vem.  Através da “Busca Ativa”, selecionamos por ordem de prioridade três regiões onde o número de jovens e adultos sem escolaridade é muito grande. A meta é garantir a alfabetização nesse primeiro momento de 500 alunos, e após essa fase incluí-los nas turmas de EJA, oportunizando a conclusão do Ensino Fundamental”, destacou Ana Izabel Moura.


Fonte: Agência Aracaju de Notícias