Sergipe

17/10/2018 às 16h33

SES reúne municípios para discutir prevenção e controle do Aedes Aegypti

Ascom/SES

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Secretaria de Estado da Educação (SES) e Defesa Civil estadual, reuniram-se, na manhã desta quarta-feira (17) através dos

Foto: Flávia Pacheco (Ascom/SES)
coordenadores de Vigilância Epidemiológica, do Programa Saúde na Escola (PSE)  com representantes da Defesa Civil dos municípios que compõem as Regiões de Saúde de Aracaju e Nossa senhora do Socorro, para planejar estratégias e ações de prevenção, controle e combate ao mosquito Aedes Aegypti nas escolas públicas municipais e estaduais. A reunião foi realizada no auditório do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha.

O encontro, articulado e coordenado pela Sala de Situação da SES tem como objetivo o controle do mosquito e a prevenção das doenças por ele causadas, como a dengue, zica e chinkugunya. “Estamos em um momento de baixa incidência de casos destas arboviroses no Estado e no país, mas não podemos nos acomodar porque estamos nos aproximando do verão, período em que, historicamente, é registrado maior número de ocorrências das doenças, disse a coordenadora da Sala de Situação, Tereza Cristina Maynard.

A gerente do Núcleo de Endemias da SES, Sidney Sá, participou da reunião apresentando o cenário epidemiológico e entomológico do Aedes Aegypti nas regiões de Socorro e Aracaju. “ Momentosntos como este são sempre muito positivos porque as pessoas passam a entendam que o controle do vetor não está somente na pasta da Saúde, mas permeia por vários outros setores, como a Educação, Defesa Civil, Meio Ambiente e a própria população. Quando a gente envolve outros atores eles começam a entender qual os eu papel nesse contexto do controle do Aedes”, considerou a gestora.

A coordenadora do Programa Saúde na Escola (PSE) da SES, Luciana Boaventura, informou que as equipes de saúde e de educação já trabalham o controle do mosquito da dengue nas unidades de ensino, uma vez que a temática integra as 12 sugestões de ações do programa. “Com este projeto colocamos mais um ator nesse circuito, que é a Defesa Civil e, com isso, vamos potencializar as ações que já são desenvolvidas”, enfatizou.

Assim também acredita a coordenadora do PSE da Educação, Márcia Furlan de Almeida. “A importância da ação é que sempre estamos trabalhando com a intersetorialidade. Agregar os diversos setores no controle do mosquito é fundamental, por isso estamos aqui, trazendo essa possibilidade da articulação entre Educação, Saúde e Defesa Civil para que a gente possa incorporar as ações no cotidiano das práticas escolares. Tanto os professores quanto as crianças e jovens estarão observando o seu ambiente e trabalhando entre seus pares”, disse.

Maria de Lourdes Menezes dos Santos, coordenadora do PSE pela Secretaria de Saúde de Laranjeiras atesta que o município já executa, no âmbito da comunidade escolar, ações educativas com vistas ao controle e combate do mosquito. “Laranjeiras já desenvolve esse trabalho, mas acho muito importante o envolvimento de todos nessa luta”, disse ela, informando que é muito boa a receptividade dos estudantes a práticas desta natureza.

O tenente-coronel Luiz Alves, gerente de Planejamento do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil avalia que trabalhar o controle do mosquito junto aos estudantes é um método bastante eficaz. “Eles são multiplicadores de informações, portanto são parte importante no processo. Acredito que essa nova missão que a Defesa Civil recebe, de se unir à Saúde e à Educação para trabalhar nas escolas o combate ao Aedes, vai prosperar e dar bons resultados”, previu.

O coordenado da Defesa Civil do município de Divina Pastora também está otimista quanto aos resultados da proposta de trabalho. “Trabalhar com crianças e jovens uma temática tão importante só nos dá entusiasmo para desenvolvermos ações eficazes”, disse.


Fonte: Ascom/SES