Sergipe

22/03/2018 às 17h07

Projeto Opará discute sustentabilidade hídrica no semiárido no 8º Fórum Mundial da Água

Redação Portal A8

Com o tema "Uso sustentável da água no semiárido brasileiro”, o Projeto Opará: águas do rio São Francisco, realizado pela Sociedade Socioambiental Canoa de Tolda e Universidade Federal de Sergipe, com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, apresentou ações na manhã desta quinta-feira, Dia Mundial da Água, na Arena Petrobras na área de exposição do 8º Fórum Mundial da Águas, em conjunto o Projeto Clima da Caatinga.

O evento ocorre em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, desde o dia 18 e será encerrado amanhã, 23 de março. O pós-doutor em Recursos Hídricos e coordenador geral do Opará, Antenor de Oliveira Aguiar Netto, apresentou práticas de uso de sustentabilidade da água no semiárido e contextualizou as ações do projeto destinados à gestão responsável da água no semiárido nordestino, em especial estudos realizados pela iniciativa para o desenvolvimento de pesquisa na área de recursos hídricos e produção de conhecimentos aplicados ao monitoramento, diagnóstico e manejo em bacias hidrográficas e afluentes do Rio São Francisco no alto sertão sergipano e em Alagoas nos municípios de Poço Redondo, Canindé do São Francisco e Pão de Açúcar, onde atua na restauração ambiental da Reserva Mato da Onça.

“O objetivo do Opará é impulsionar e desenvolver junto às comunidades do baixo São Francisco em Sergipe e Alagoas, ações ligadas à sustentabilidade do uso da água, considerando especialmente, temas que envolvam a gestão dos recursos hídricos e a segurança hídrica. Para isso, realizamos atividades de recomposição da rede de drenagem natural e da mata ciliar, gestão de bacias hidrográficas, racionalização e conscientização e uso múltiplo da água”, enfatiza.        

O pesquisador contextualizou as ações do projeto em um cenário de ações humanas e naturais que ocorrem na bacia hidrográfica do Rio São Francisco e que tornam a situação hídrica da região como uma das mais críticas dos últimos anos, com prejuízos que geram danos ambientais e humanos, além de sociais e econômicos que levam a conflitos pelo uso da água, sendo necessárias medidas preventivas e adaptativas na gestão dos recursos hídricos com implementação das ações planejadas no enfrentamento às adversidades e impactos ambientais.

“A valorização do recurso hídrico como bem público finito e a conscientização da necessidade de um uso mais sustentável são essenciais para que se tenha maior garantia da oferta de água para os diferentes usos. As ações devem ser tomadas para racionalizar o uso da água, prevenindo assim os efeitos de sua escassez”, destaca Antenor Aguiar.

Ele enfatizou que as ações do Opará trabalham a importância das práticas sustentáveis da água em todas as linhas de atuação do projeto reconhecendo como fundamental a discussão hídrica no Semiárido, local onde está presente através de realização de pesquisas de monitoramento da Bacia Hidrográfica do São Francisco, que tem na agricultura uma de suas mais importantes atividades econômicas.

“Neste bojo de enormes demandas, planejamentos insuficientes e dificuldades impostas, o rio e o seu povo acendem a luz de emergência e mostram sinais de degradação. É a partir deste contexto, que surge o Opará, que a através da produção de conhecimento e mobilização social interfere na realidade socioambiental da região através da recuperação da mata ciliar, educação ambiental e monitoramento hídrico”, explica.  

Além das discussões sobre a sustentabilidade da água no semiárido, o Fórum Mundial da Água, organizado pelo Conselho Mundial da Água, agrega várias temáticas com o propósito de contribuir para o diálogo do processo decisório sobre o tema em nível global, visando o uso racional e sustentável desse recurso, oportunizando um diálogo mundial, aberto e democrático, para estabelecer compromissos políticos relacionados à água. Também incentiva o uso racional, conservação, proteção, planejamento e gestão deste recurso em todos os setores da sociedade.