Sergipe

30/09/2017 às 11h29

“Ocorreu um desentendimento por conta de uma mulher, houve agressões e os tiros", revelou delegada geral

Redação Portal A8

A delegada geral da Polícia Civil, Katarina Feitoza, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral, concederam entrevista coletiva na manhã deste sábado (30), na Sala de Imprensa da SSP, e lamentaram a morte do policial civil Wilson Oliveira dos Santos, 51 anos, em uma briga com um policial militar.

Durante a coletiva, Katarina Feitoza, afirmou que um não sabia da condição de policial do outro. “Ocorreu um desentendimento por conta de uma mulher, houve agressões e os tiros, infelizmente um veio a óbito, somente após isso é que se soube que a vítima era policial civil. O policial militar cumprindo seu dever aguardou no local e comunicou a PM sobre o fato”, declarou a delegada geral.

A Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), foi comunicada e o policial foi encaminhado à Delegacia Plantonista, seguindo para o Presmil. “O policial militar foi para Presmil para que os fatos sejam passados ao crivo da justiça. Lamentamos e dizemos a sociedade que a Polícia Civil e a Polícia Militar, se solidarizam. Foi uma tragédia, infelizmente com colegas de farda”, destacou Katarina Feitoza que ressaltou. “Esse fato não atrapalha os trabalhos, a integração das polícias, uma vez que foi fato isolado e não tem nenhum tipo de ligação com a situação funcional do dois”.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral, também participou da coletiva e informou que o policial militar cumpria seu trabalho no 5º Batalhão da Polícia Militar de forma correta. “Tudo será apurado e a justiça irá dar a palavra final sobre os fatos. Temo que ter cautela sobre informações e o inquérito irá apurar as circunstâncias”, relatou.