Sergipe

07/06/2017 às 16h41

Em Aracaju, vacinas podem ser jogadas no lixo por causa da baixa procura

Com informações da SMS

 

A procura pela vacinação contra o HPV realizada em Aracaju para o público alvo que são meninas de 09 a 14 anos, meninos de 12 a 13 anos, e pessoas portadoras de HIV de 09 até 26 anos, ainda é considerada baixa. Além disso, de acordo com a Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia (ABPTGIC) – capítulo Sergipe, caso algumas doses não sejam utilizadas até o mês de julho, período do vencimento, elas serão descartadas.

Segundo a ginecologista e membro da ABPTGIC, Carmem Luiza Leite, o HPV é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), que pode ser prevenida com a utilização da vacina e da realização do exame de Papa Nicolau. “A vacina é uma forma de prevenção primária. As pessoas devem levar seus filhos e filhas para sejam vacinados”.

“Estamos muito preocupados, pois ao ano passado a adesão foi maior que esse ano. Não podemos descartar um medicamento tão importante e que custa caro”, destacou a médica, que reforçou que os pais devem ficar tranquilos, pois a vacinação é segura.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou que vai realizar um trabalho junto as escolas para que as vacinas sejam disponibilizadas. “A adesão em 2016 foi de 6.031 vacinados, e até o momento 56% desse número já foi alcançado. Entendemos que esse número pode melhorar se trabalhado nas escolas. Mas ainda é necessário a realização de uma parte burocrática junto aos pais para que eles autorizem a vacinação”, destacou a diretora de Vigilância da Saúde da capital, Taize Cavalcante.

Ela destacou ainda que as vacinas estão disponíveis durante todo o ano nos postos de saúde. E perdas de doses estão previstas no sistema de imunização.


Fonte: Com informações da SMS