Sergipe

08/05/2013 às 11h58

Saúde comemora Dia Mundial da Criança Soropositiva

Redação Portal A8

Em alusão ao Dia Mundial da Criança Soropositiva, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Secretaria da Saúde de Aracaju, promoveu na tarde desta terça-feira, 7, uma ação com brincadeiras e distribuição de brindes para crianças soropositivas. O encontro ocorreu no CEPS (Centro de Educação Permanente em Saúde) e reuniu mães e crianças portadoras do vírus HIV, além de estudantes voluntários de uma escola particular da capital. Durante toda a tarde, foram feitas brincadeiras, com cantigas de roda, distribuição de brindes e lanches para os presentes.

A ação, que acontece anualmente, marca um momento de reflexão sobre a importância do pré-natal e mulheres soropositivas e tratamento das crianças que carregam o vírus. O Brasil registrou, até o ano passado, 8.988 casos de crianças menores de 5 anos e 2.191 na faixa etária de 5 a 9 anos com AIDS. Em Sergipe, já foram registrados 91 casos, em menores de cinco anos.

"Nosso Estado é um dos mais envolvidos na prevenção da Aids, inclusive, esta ação marca o sexto ano consecutivo que realizamos um evento alusivo às crianças soropositivas. Nós estamos conseguindo diminuir o número de casos novos em crianças e isso é uma grande vitória. Temos lutado para fazer essa mobilização em todo o Brasil e ao mesmo tempo falar sobre a importância do pré-natal, pois é fundamental que as gestantes façam o acompanhamento da sua gravidez", destacou o gerente do Programa Estadual de DST/Aids, Almir Santana.

Para a representante do Movimento Nacional de Cidadãs Positivas (MNCP), Fátima Aline de Souza, o encontro faz parte da inclusão social. "Aqui nós mostramos para essas crianças que elas podem tudo. Apesar de muitos não saberem ainda sobre a doença, até pela pouca idade, e por isso não entendem. Trouxemos 30 crianças, que estão na faixa etária de recém-nascidos a 14 anos. É um dia de reflexão para o estudantes, para as mães das crianças portadoras do vírus e de brincadeira para os pequenos", aponta.

A estudante Gabriela Petele comentou que foram mobilizados mais de 200 alunos da sua escola, que arrecadaram brinquedos e alimentos para a tarde de brincadeiras.

"Nós nos juntamos para fazer chocolate, brigadeiro e vendemos no colégio e, assim, arrecadamos dinheiro para comprarmos leite e farinha láctea, além de produtos de higiene e material escolar. É uma iniciativa importante porque é um problema não apenas do Estado, como um problema nacional. É uma realidade diferente da qual estamos acostumados", disse.

Fonte: ASN