Sergipe

13/12/2011 às 14h48

Saúde alerta sobre a dengue no período de férias

Redação Portal A8

Durante o período final do ano é fundamental continuar adotando cuidados preventivos contra a dengue. O motivo principal desse alerta é que com as festividades e as férias escolares é grande o número de imóveis fechados durante as vistorias de rotina realizadas pelos agentes de endemias do município. Conforme dados do Programa Municipal de Controle da Dengue, só em dezembro de 2010 foram registrados aproximadamente 26 mil imóveis fechados, isto é, 23% dos imóveis visitados naquele período.

Nas áreas de risco, um único imóvel fechado pode esconder diversos focos e criadouros do mosquito da dengue. Taíse Cavalcante, coordenadora do Programa Municipal de Controle da Dengue, fala sobre o que pode acontecer quando os moradores da casa viajam por alguns dias, sem antes adotar os devidos cuidados.

"Um balde ou recipiente com água esquecido no quintal, um córrego descoberto ou até mesmo um simples vaso sanitário destampado permite que com apenas sete dias os ovos depositados pelo Aedes aegypti se transformem em mosquitos adultos, que podem disseminar a doença na região", explica Taíse Cavalcante.

Portanto, antes de viajar deve-se checar se as lavandeiras e recipientes com água estão secos e tampados e se baldes e garrafas foram organizadas de cabeça para baixo, evitando o acúmulo de água. Nos banheiros o principal cuidado é manter o vaso sanitário tampado e as torneiras e chuveiros devidamente fechados.

Visita

Como é difícil encontrar alguns moradores em casa no final do ano, os agentes de endemias deixam notificações em cada visita aos imóveis fechados. A notificação orienta que é possível ligar para Vigilância Epidemiológica e marcar um dia com horário agendado para que a vistoria do imóvel aconteça. Conforme Taíse Cavalcante, é fundamental que os cidadãos liguem e colaborem.

As visitas de agentes de endemias acontecem de segunda a sábado, durante o ano inteiro. A meta é visitar o imóvel pelo menos seis vezes no ano. "É graças a essa continuidade que é possível acompanhar casos de risco, garantindo agilidade no isolamento da epidemia. Quando o morador liga, tira suas dúvidas e agenda a visita, ele colabora para a própria segurança e sucesso do Programa Municipal de Combate à Dengue", destaca Taíse Cavalcante.

Piscinas

Outro alerta é que o período de calor também favorece o surgimento da dengue em piscinas não tratadas, que podem estar em residências e casas de veraneio. Uma medida simples e prática para evitar a reprodução da dengue em piscinas desativadas é cobri-las com terra ou depositar 1kg de sal no seu ponto mais fundo. Esses materiais fazem com que a água se torne impura e imprópria para que o mosquito deposite ovos.

"Quando adotamos os cuidados, a dengue permanece longe e todos podem comemorar um fim de ano com muita alegria e saúde", afirma o secretário municipal de Saúde em exercício, Mário Ferreira.