Sergipe

07/12/2011 às 09h18

Exportações sergipanas geram superávit e passam de us$ 95 milhões no acumulado

Redação Portal A8

O mês de outubro registrou um superávit de US$ 4,694 milhões na balança comercial de Sergipe, de acordo com dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC/SECEX). O resultado se deve às exportações originadas no estado que alcançaram um montante de US$ 14,957 milhões, 52,7% superior ao obtido em setembro deste ano. Já as importações contabilizaram um total de US$ 10,263 milhões e representaram um recuo de 28,3% em relação ao mês anterior. Os números confirmam o bom momento das exportações estaduais este ano, que no acumulado de 2011 registra um valor de US$ 95,667 milhões em exportações, resultado 61,4% superior ao totalizado entre os meses de janeiro a outubro de 2010.

"Nosso Estado não tem uma vocação histórica para exportações. Mas este ano temos visto bons números nesse sentido, o que comprova que o empresariado sergipano tem evoluído na busca de novos mercados. E estamos também realizando uma série de estudos sobre Zona de Processamento de Exportação (ZPE) para que possamos implantar a nossa com o máximo de aproveitamento possível, apoiando ainda mais as exportações de Sergipe", frisou o gestor da pasta do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Zeca da Silva.

De acordo com Danilo Munduruca, economista do Departamento Técnico da Sedetec, o bom resultado das exportações sergipanas em 2011 pode ser atribuído, sobretudo, ao ótimo desempenho do suco de laranja, principal item da pauta estadual. "Isto porque, houve aumento tanto do volume exportado, quanto da cotação internacional, principalmente com relação ao volume que passou no acumulado de janeiro a outubro, de 15.936 toneladas, em 2010, para 24.521 toneladas, em 2011", ressaltou, ao destacar ainda que a cotação internacional, no mesmo período, passou de 1.557 US$/tonelada para 2.053 US$/tonelada.

Além do suco de laranja, outros produtos de destaque na pauta de exportação deste ano em Sergipe são os calçados (US$ 11,840 milhões), açúcar (US$ 9,765 milhões), outros açúcares (US$ 4,846 milhões) e óleos essências de laranja (US$ 4,426 milhões), e entre as principais empresas exportadoras do Estado, no acumulado do ano, estão a Tropfruit Sucos, Maratá Sucos, Azaléia Calçados, Usina Caeté e Usina São José do Pinheiro. "Quanto aos destinos, os principais são Holanda, que compra, principalmente suco de laranja e óleos essências de laranja; Rússia, que compra açúcar; Colômbia , que compra, principalmente, calçados e outros açúcares; Bélgica, que também adquire suco de laranja; e o Peru, que adquire, sobretudo, calçados", analisa Munduruca.

Quanto às importações, o valor registrado em outubro foi de US$ 10,263 milhões, sendo 28,3% menor do que o valor importado em setembro. Este ano, o montante importado soma US$ 246,628 milhões, segundo o economista, uma variação positiva de 64,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. "Dado o expressivo montante importado, o resultado da balança comercial no ano é negativa em US$ 150,961 milhões. Já a corrente de comércio, que retrata a inserção de Sergipe no comércio internacional, registra o valor de US$ 342,295 milhões", avalia, ao destacar que os principais produtos importados por Sergipe são insumos ou máquinas, entre eles trigo, coque de petróleo, fosfato de amônio, sulfato de amônio e outros aparelhos para filtrar ou depurar líquidos. Destacam-se entre as maiores importadoras de Sergipe a Fertilizantes Heringer, Moinho Motrisa; Cimento Poty; Petrobras e, Arumã Embalagens.


Fonte: ASN