Sergipe

06/12/2011 às 08h20

Três homens são indiciados por furtar pontos de clientes de companhias aéreas

Redação Portal A8

Clientes que acumulam pontos nos programas de fidelidade de companhias aéreas precisam tomar cuidados com a fraude cibernética. O golpe é praticado pela internet e faz milhares de vítimas em todo o país. Nessa segunda-feira (05) o Departamento de Defraudações e Combate à Pirataria da Polícia Civil indiciou três homens acusados de furtar pontos de clientes.

A operação começou em Sergipe quando um cliente de uma empresa aérea informou a Polícia Civil do Estado que sua conta no programa de fidelidade havia sido furtada e que os golpistas utilizaram os seus pontos para comprar passagens aéreas e reservar três dias em um hotel na Orla de Aracaju. De posse dos nomes, os policiais foram ao hotel e conduziram Claudemir Souza, Luiz Brandão e Adriano Lago para a delegacia.

De acordo com a delegada Maria Pureza, os três são de Camaçari (BA) e vão responder pelo crime de estelionato. O mentor do golpe é Claudemir Souza, que deu detalhes de como conseguiu enganar os clientes. Conforme depoimento do acusado, ele conheceu os detalhes do golpe em uma sala de bate-papo na internet ao receber instruções de um homem de São Paulo com quem mantém contatos diários.

Fraude cibernética

O golpe consiste em dois procedimentos básicos: criação de uma página falsa da companhia aérea e com a compra de um programa de computador responsável por enviar milhões de e-mails spams de qualquer lugar do país. "A pessoa abre o e-mail e lá encontra uma mensagem atrativa informando que ganhou 30 mil pontos da TAM, por exemplo, e pede que o cliente entre na página e preencha os dados pessoais com o número do cartão fidelidade e a senha. A mensagem diz que a transferência de pontos será imediata", explica a delegada.

Pureza acrescenta que de posse dos dados, o golpista entra no site da empresa e faz reserva de passagens e hoteis em qualquer lugar do mundo como se o procedimento tivesse sido feito pelo verdadeiro cliente da empresa. "Quando a pessoa se dá conta já perdeu todos os seus pontos e percebe que caiu no golpe da fraude cibernética", disse a delegada. O caso será remetido para ser investigado em São Paulo e Bahia.

 

Fonte: SSP/SE