Sergipe

16/05/2011 às 17h46

Infestação da dengue no segundo trimestre é a menor dos últimos três anos

De acordo com os dados divulgados, o índice de infestação ficou em 2,8%, considerado de médio risco

Redação Portal A8

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgou na manhã desta segunda-feira (16) os dados do terceiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de 2011. O anúncio foi realizado pelo secretário municipal da Saúde, Silvio Santos, no auditório do Centro de Educação Permanente da Saúde (Ceps). Por conta do clima desta época do ano, caracterizado por períodos intercalados de chuva e sol, o que favorece o desenvolvimento acelerado do mosquito transmissor da doença, era esperado um índice de infestação elevado, porém o percentual foi o menor registrado nos últimos três anos para este período.

O índice de infestação ficou em 2,8%, considerado de médio risco. Segundo Silvio Santos, o resultado do LIRAa mostra o trabalho sério e continuado da Prefeitura de Aracaju no controle da doença e também auxilia a secretaria a realizar o planejamento e o direcionamento das ações dos ciclos de trabalho do Programa Municipal de Controle da Dengue (PMCD), que visa à eliminação dos focos do Aedes aegypti na capital.

"O resultado que divulgamos hoje é muito importante para a sociedade e para a secretaria. É a partir desses dados que montamos as estratégias para os próximos dois meses. Aracaju está conseguindo reduzir a infestação do vetor da dengue, mas é importante deixar claro que esse não é um trabalho exclusivo do poder público e dos agentes da SMS. A população tem que cuidar de suas residências para evitar possíveis focos", ressaltou Silvio Santos.

Panorama

O último LIRAa também apontou que o maior problema continua sendo a presença de larvas do mosquito em lavanderias domésticas, onde foram encontrados 56,6% dos focos. Depois das lavanderias, aparecem os pequenos depósitos de água, como ralos, lajes, sanitários em desuso, vasos e pratos de plantas, que mantiveram o percentual de 30%.

Já o número de focos em áreas de depósitos de lixo no interior das residências registrou aumento, passando de 1,7% para 11,5%, o que demonstra o descuido da população em relação ao combate do vetor dentro de casa. Neste levantamento não foram encontrados focos em terrenos baldios.

Em Aracaju, três bairros estão classificados como de baixo risco para a dengue, 34 são de médio risco, e dois de alto risco. O bairro Santa Maria, que apresentava 4,0% de infestação, reduziu o índice para 2,8%, saindo de alto risco para médio risco. O contrário aconteceu no bairro 18 do Forte, onde o índice subiu de 0,6% para 8,1%. No bairro Coroa do Meio, o índice era de 1,7 % e passou para 4,0%.

 

Fonte: PMA