Sergipe

07/05/2011 às 11h53

Jovens falam dos desafios da maternidade na adolescência

Este Dia das Mães não será o mesmo para essas meninas, que de forma precoce se tornaram mulheres e mães

Redação Portal A8
Natiele teve seu primeiro filho com 15 anos (Foto: Atalaia Agora)

Este Dia das Mães não será o mesmo para essas meninas, que de forma precoce se tornaram mulheres e mães. O papel de filhas deu lugar a difícil, porém, recompensadora, função da maternidade. Desafios e alegrias, que aos poucos vão revelando um novo mundo para essas novas mamães, que mesmo com a pouca experiência, já perceberam o significado da palavra mãe.

Após uma gravidez de risco e um parto prematuro, a adolescente Nataniele Santos Matos, 15 anos, há três meses saiu de sua casa, no município de Aquidabã, para acompanhar o pequeno Marlos. A jovem conta que apesar de já morar com o pai da criança, a maternidade não fazia parte dos seus planos e foi uma grande surpresa. "Eu não esperava pela notícia, mas fiquei muito feliz e já aprendi muito desde que soube que seria mãe. Precisei mudar em muita coisa, mas todo o esforço vale a pena", explicou Nataniele.

A adolescente Mirele diz está realizando um sonho com a maternidade (Foto: Atalaia Agora)

Para a adolescente Mirele Rodrigues Santos, 14 anos, ser mãe é a realização de um sonho. "Sempre quis ter filhos e mesmo ainda sendo bem nova estou muito feliz", afirmou a jovem que é a mais velha dos cinco irmãos e revelou que já estava acostumada com a rotina de cuidados. "Eu sempre ajudei minha com meus irmãos, então cuidar de bebês não é uma nenhuma novidade, não vou sair muito da rotina que tinha na casa da minha mãe", contou.

Mesmo com todos os desafios, para as meninas os filhos estão trazendo experiências positivas. Essa também é a opinião de Gislane Araujo, 17 anos, que contou como tem sido sua vida desde que o Uriel nasceu. "Amadureci nesse último mês, eu não imaginei que ele pudesse nascer prematuro e não tinha ideia de como é difícil cuidar do bebê. Estou aqui na maternidade desde que ele nasceu, fico todo dia na torcida para ele ganhar peso e poder voltar para casa comigo", relata. "Apesar de todas as dificuldades e da surpresa de ser mãe, estou muito feliz com as descobertas, é uma sensação especial", declarou.

Gislane revela que já amadureceu muito desde que seu filho nasceu (Foto: Atalaia Agora)

 

Outro lado

Apesar dos relatos positivos destas jovens mamães, a médica da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, Liliana Piscetta, revelou que o número de adolescentes grávidas tem crescido e na maior parte dos casos não são bem aceitas. "Recebemos muitas meninas que tentam fazer aborto ou então que prosseguem com a gestação, mas não fazem pré-natal e acabam tendo uma gravidez de risco, que já é mais comum entre jovens", afirmou.

Para Liliana, falta orientação para essas adolescentes. "É preciso prevenir, os jovens tem que ter mais esclarecimento nas escolas, em casa e na mídia. Muitos casos de gravidez sem planejamento poderiam ser evitados se os adolescentes fossem mais conscientes das consequências dos seus atos", explicou.

"A maternidade é um momento especial, mas deve ser planejada para não formar famílias desestruturadas. Percebemos muitos casos de pais que não aceitam a gravidez das filhas, elas vão morar com os namorados, que também são muito jovens, e na maioria dos casos acabam abandonando essas adolescentes com seus filhos", destacou .