Sergipe

07/05/2011 às 08h12

Acusados de participação na morte do sindicalista Carlos Gato são condenados

Redação Portal A8

Terminou na noite dessa sexta-feira (06), após 11 horas de duração, o julgamento dos primeiros acusados de terem participado do assassinato do sindicalista Carlos Gato. José Nilton e cabo Valmir foram condenados pelo juri popular a mais de 18 anos de prisão em regime fechado. O julgamento foi realizado no Fórum Gumercindo Bessa, na 8ª Vara Criminal.

Na época do crime, José Nilton era secretário de finanças do município de Tomar do Geru, de acordo com a acusação ele teria contratado os pistoleiros para assassinar Carlos Gato. Já o cabo Valmir teria participado auxiliando a localização da vítima.

Após o julgamento, o advogado de defesa, Emanuel Cacho, informou que vai entrar com recurso pedindo a revisão da sentença. Enquanto isso os dois acusados vão responder o processo em liberdade. "Acreditamos que não foi produzida nenhuma prova com consistência e existem contradições na decisão dos jurados, em cima disso pretendemos anular esse julgamento", revelou o advogado.

Para o promotor de justiça, Emérson de Oliveira, os jurados são soberanos e a partir da avaliação das provas apresentadas sentiram a necessidade de punir os réus. "Apesar de já terem se passado 10 anos, todas as provas foram recolhidas e os dois são apontados como auxiliares na execução do crime", afirmou.

O caso

Alberto Santos de Oliveira, o Carlos Gato, foi executado com dez tiros no dia 22 de setembro de 2001, no município de Pedrinhas. A vítima era vereador e sindicalista, ele era contra o trabalho infantil em pedreiras e em laranjais da região sul do Estado. Outros dois acusados ainda vão ser julgados pelo crime.