Sergipe

24/03/2010 às 10h40

Polícia descarta latrocínio em caso de comerciante morta em Itabaiana

Redação Portal A8

Com a prisão da suposta autora intelectual, Maria Sônia de Melo, 32 anos, e do suposto executor, Ronaldo Mota dos Santos, 26 anos, acusados de assassinar a comerciante da cidade de Malhador Jaqueline Souza Mecena, 28 anos, a Polícia Civil da cidade de Itabaiana dá como quase finalizado o caso.

A investigação aponta que o fato foi um crime de homicídio e descarta a possibilidade de ter sido um latrocínio. Na manhã desta quarta-feira, 24, o coordenador das delegacias do interior, Fernando Melo, e o delegado regional de Itabaiana, Marcelo Hercos, prestaram esclarecimentos sobre o caso.

"Damos como 80% do caso elucidado. Estamos realizando diligências na tentativa de encontrar a arma utilizada no crime e o paradeiro de um terceiro envolvido no assassinato", salientou Hercos. De acordo com Fernando Melo, os dois acusados ficarão detidos em unidades policiais da capital sergipana à disposição da Justiça. "Os acusados ficarão detidos em uma delegacia não divulgada até finalizarmos as investigações", afirmou Melo.

O delegado Marcelo Hercos destacou, ainda, durante coletiva à imprensa que após o crime Maria Sônia foi até um supermercado da cidade e não acionou a polícia. Ela ainda tentou forjar uma testemunha.

"Ela propôs a um funcionário do supermercado que fosse até a delegacia afirmar que havia pago uma dívida que foi utilizada por Sônia no pagamento a vítima. O funcionário foi ouvido e nos informou a proposta", destacou Marcelo.

O carro da vítima foi encontrado na manhã desta quarta-feira, 24, por policiais da cidade de Carira. O veículo, um Toyota Corolla, cor azul, placa HAR 05-31 de Malhador, foi encontrado em uma estrada de difícil acesso próximo a um posto desativado da Polícia Rodoviária Federal. O veículo estava completamente carbonizado, sendo identificado pela placa.

Crime

A comerciante da cidade de Malhador Jaqueline Souza Mecena, 28 anos, foi executada a tiros nesta segunda-feira, 22, em uma estrada que dá acesso ao povoado Pé do Veado, distante 16 quilômetros do município de Itabaiana. Na noite da segunda a polícia prendeu Maria Sônia de Melo, 32 anos, que após depoimento prestado foi detida em flagrante.

Já na manhã desta terça-feira, 23, os policiais prenderam temporariamente no povoado Riacho Doce o suposto executor da comerciante. Ronaldo Mota dos Santos, 26 anos, que foi preso no momento em que estava em casa.

No dia do crime, Maria Sônia foi até a casa da vítima com a promessa de pagar uma dívida. As duas saíram no carro de Jaqueline. Segundo o depoimento de Maria Sônia, Ronaldo decidiu por contra própria executar a comerciante.

No seu depoimento, Maria Sônia disse que o executor tinha um débito com ela no mesmo valor do que ela devia a vítima, R$ 3.700,00. E aí combinaram de atrair a vítima para que ele repassasse o dinheiro para que ela quitasse a dívida.

Chegando ao local combinado, ele mudou de plano e resolveu seqüestrá-las. No meio do caminho ele liberou Maria Sônia por conta da sua gravidez e prosseguiu com Jaqueline até o local onde seu corpo foi encontrado.

 

Fonte: SSP/SE