Sergipe

15/01/2010 às 12h12

Presos acusados de matarem um homem em via pública

Redação Portal A8

A Polícia prendeu dois homens acusados de matar por motivo fútil no último domingo(11), um homem identificado por Everton Santos Menezes em uma via pública na cidade de Simão Dias. De acordo com o delegado Fábio Pimentel, o primeiro a ser preso foi Washington Luiz Nascimento de Andrade, 18 anos, conhecido como ‘Umbigão`, na última terça-feira, dia 12.

O segundo acusado Manoel Santos de Santana, 20 anos, o ‘Fernando`, foi preso na manhã desta sexta-feira na cidade de Simão Dias. O crime teria sido motivado por uma ofensa entre pessoas de bairros distintos. Os autores do homicídio moravam no bairro Evalda Silva Matos e a vítima residia na invasão do conjunto Mutirão.

"Everton denegriu o bairro de Umbigão e Fernando e estes não gostaram da ofensa e partiram para a briga. Umbigão pegou uma faca e desferiu três golpes contra o corpo de Everton, que ainda correu, mas veio a falecer na porta da casa dos pais", explicou o delegado.

Após o crime, Fernando pegou um revólver e disparou três vezes para o alto para despistar as pessoas que estavam próximas. No mesmo dia, a Polícia Civil identificou os autores do crime e no dia seguinte a Justiça expediu um mandado de prisão contra os acusados. Com eles foram apreendidos um revólver calibre 38 com numeração raspada e a faca utilizada no crime.

"Os dois foram reconhecidos e interrogados e encontram-se custodiados na Delegacia de Simão Dias à disposição da Justiça", ressaltou o delegado Fábio, lembrando que em razão da confiança do Judiciário no trabalho da Polícia Civil, os mandados de prisão são autorizados em poucas horas.

Mandados de prisões - Nesta quinta-feira, dia 14, foram presos em cumprimento a um mandado de prisão preventiva Eliosvaldo Soares dos Santos, 21, vulgo ‘Eli`, e Carlos André de Jesus Santos, 29, ‘Ninho`. Eles são acusados de matar no último dia 8 de novembro de 2009 o senhor Laelson Gomes, no município de Simão Dias.

"Eles chegaram a ser presos temporariamente, mas foram libertados após o termino do prazo estabelecido pela Justiça. Agora, a prisão é preventiva e esperamos nesse período juntar todas as provas que o caso requer", avaliou Pimentel.

Fonte: SSP/SE