Sergipe

05/01/2010 às 11h50

Presos traficantes que entregavam drogas em domicílio

O motociclista Manoel Messias Santos foi abordado e confessou que trabalhava entregando crack

Redação Portal A8

 

oram apreendidas com o trio 300 gramas de crack, R$ 820 em pequenas notas arrecadadas com a venda da droga e uma motocicleta Honda Biz IOO-6348, que havia sido tomada de assalto no dia anterior. (Foto: SSP)

Para driblar a ação da polícia, os traficantes de Aracaju inovam na hora de vender o crack. Eles têm utilizado entrega em domicílio para atender aos seus clientes. Na madrugada de hoje (05) os policiais da Companhia de Choque prenderam três traficantes de drogas no bairro Industrial.

 

O motociclista Manoel Messias Santos, 21 anos, foi abordado e confessou que trabalhava entregando crack em domicílio. O dono do negócio seria o cunhado dele, Wisley Santana Martiliano,22.

A polícia foi até a casa de Wisley e lá apreendeu 120 pedras de crack, que estavam guardadas com a esposa dele, Maria Cícera Santos., de 33 anos Ela está em liberdade condicional. De acordo com o tenente Teixeira, que participou da operação, os traficantes são perigosos. "Wisley é foragido da Justiça e Cícera responde por homicídio e tráfico de droga. A droga já estava sendo entregue em domicílio. É importante que a comunidade denuncie ações como essas", alerta o policial.

Início da ação - Segundo o comandante da Força Tática do Choque, capitão George Melo, a ação teve início no final da tarde, quando o Batalhão recebeu a informação de que um homem estava trafegando com uma moto possivelmente roubada.

"Designamos uma equipe para verificar o fato e ela descobriu que Manoel Messias conduzia a moto com restrição de roubo e que o crime havia ocorrido no dia anterior. O acusado ainda portava o documento da moto, que ele também roubou", disse, revelando que a Biz já foi devolvida ao pai da proprietária.

O relato da vítima ajudou a confirmar a autoria do crime. "A estudante que foi assaltada disse que Manoel usou uma arma de fogo na abordagem, então a guarnição convenceu o acusado a entregar o revólver. O preso então levou os soldados até a casa de Wisley e Cícera, também no Industrial, onde foram não foi encontrada a arma, mas 300 gramas de crack - metade em pedras já prontas para venda e dinheiro arrecadado com o comércio ilegal", reforçou George.

Ainda de acordo com o comandante da Força Tática, a motocicleta que foi apreendida seria utilizada como moeda de troca para abastecer o tráfico de entorpecentes. "O veículo seria trocado por mais crack pela quadrilha e é por isso que precisamos combater com veemência o tráfico , pois ele cria a oportunidade para outros crimes. A população pode de deve continuar a ajudar no enfrentamento a esse crime, denunciando", acrescentou o capitão.

Os três foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e estão presos na Delegacia Plantonista.

 

Com informações da SSp/Se