Sergipe

19/09/2009 às 15h27

Carreta com carga de amônia cai em ribanceira na BR-101

Redação Portal A8

Uma carreta de placa NFO 1570 de Goiás carregada com amônia (produto altamente tóxico) despencou de uma ribanceira às margens da BR 101, nas proximidades do município de Estância, distante 73 quilômetros da capital. O acidente aconteceu por volta das 7h30 da manhã de sábado (19). O motorista Divino Pereira da Silva, 37 anos, ficou com as pernas presas às ferragens e teve ferimentos por todo o corpo. Ele recebeu socorro no local por uma equipe do Samu e foi levado ao Hospital Amparo de Maria no município de Estância.

Informações da Polícia Rodoviária Federal é que pode ter acontecido uma falha no freio que fez com que o veículo perdesse o controle na pista. Marcas de freadas ficaram na rodovia, o que reforça as primeiras análises da PRF. Não houve vazamento do líquido. A carreta levava amônia da FAFEN, em Laranjeiras, com destino a cidade de Camaçari (BA).

"O motorista estava consciente, mas ficou bastante machucado. Ele estava com as pernas e os dois braços feridos. Acredito que não corra risco de morrer", disse o policial rodoviário Itamar que atendeu a ocorrência.

Uma das preocupações da PRF e de funcionários da FAFEN foi com o vazamento do produto por ser um gás tóxico. "O importante foi que não houve vazamento. A amônia pode provocar problemas respiratórios e até envenenamento", informou.

No final da tarde o motorista foi liberado pela equipe médica do hospital.

Amônia

A amônia é corrosivo na presença de umidade, agindo principalmente no sistema respiratório, exercendo uma ação corrosiva e causando grande irritação. Sua inalação causa tosse, dificuldades respiratórias, inflamação aguda do sistema respiratório, edema pulmonar, formação de catarro, secreção de saliva e retenção de urina. Sua presença no ar causa irritação nos olhos imediatamente.

 

Apesar da proporção do acidente não houve pessoas com ferimentos graves. (Foto: Atalaia Agora)
Marcas na pista identificavam o local do acidente. (Foto: Atalaia Agora)