Sergipe

10/09/2009 às 16h01

Crise ainda afeta o comércio exterior em Sergipe

Redação Portal A8

O boletim Sergipe Econômico, uma parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (NIE/FIES) e a Universidade Federal de Sergipe (UFS), em sua oitava edição, mostrou que o comércio exterior ainda é o ponto muito afetado pela crise econômica. De acordo com as estatísticas fornecidas na publicação, no mês de agosto houve uma queda de 65,5% nas exportações, se comparado ao mesmo período do ano passado.

As importações mostraram uma pequena melhora, com a aproximação do final de ano e o crescimento do volume de negócios, somaram US$ 16,1 mihões, um aumento de 41,4% com relação ao mês anterior, mas 9,3% menor na comparação com agosto de 2008. De acordo com a Infraero, o que predomina nas importações são peças de reposição para máquinas das indústrias do estado e produtos de valor elevado.

A FIES, além do NIE, que fomenta a economia sergipana com informações relevantes sobre o assunto, tem o Centro Internacional de Negócios (CIN/FIES), que oferece todo apoio aos empresários sergipanos se lançarem no mercado exterior. Eventos como o II Sergipe Export, que através de palestras, mostrou o caminho exportador ao industriário sergipano, demonstram o árduo trabalho realizado pela instituição na busca de novos mercados para o empreendedor local.

O CIN/FIES também fornece todo apoio logístico para a participação das indústrias sergipanas em eventos internacionais, como aconteceu mês passado, com a DeLuc, empresa de confecções do estado, que participou da maior feira de empresas desse ramo da Europa. O empresariado sergipano precisa ter uma visão mais otimista com relação ao mercado externo, pois a crise afetou todos os ramos da economia, mas conquistando novos mercados, com produtos de qualidade, torna-se mais fácil sair dela.

 

Fonte:Ascom/ FIES