Sergipe

23/03/2009 às 09h05

Aracajuanos voltam a conviver com rodízio de água

Redação Portal A8

 

Aracajuanos voltam a armazenar água para enfrentar rodízio (Márcio Garcez)

A Companhia de Abastecimento de Água de Sergipe (Deso) retomou o rodízio de água em Aracaju. Nesta segunda-feira (23) amanheceram sem água nas torneiras as comunidades dos conjuntos Augusto Franco, Castelo Branco, Dom Pedro II, Jessé Pinto Freire, JK, Médici, Orlando Dantas, Inácio Barbosa, Santa Lúcia, Sol Nascente, Governador Valadares, Padre Pedro, Marivan e nos bairros Grageru, Jabotiana, Jardins, Luzia, Ponto Novo, Parque dos Coqueiros, São Conrado e Distrito Industrial de Aracaju, além dos Loteamentos Garcia e Tramandaí.

 

Essas localidades ficarão sem água até amanhã (24). Na quarta e quinta-feira o rodízio será feito nas localidades da zona norte da cidade que compreende 18 do Forte, Alto da Jaqueira, Centro, Cidade Nova, Cirurgia, Coqueiral, Bugio, Getúlio Vargas, Industrial, Itacanema, Jardim Centenário, Japãozinho, Getimana, Lamarão, Nova Liberdade, Olaria, Palestina, Pau Ferro, Pereira Lobo, Planalto, Ponta da Asa, Porto Dantas, Salgado Filho, Sanatório, Santo Antônio, Santos Dumont, São Carlos, São José, Sobrado, Soledade, Suíssa, Barra dos Coqueiros, Atalaia Nova, José Conrado de Araújo, América, Costa e Silva, Novo Paraíso e Siqueira Campos.

Abastecimento mantido

O presidente da Deso, Max Montalvão, fez questão de explicar que as comunidades mais necessitadas da Grande Aracaju não serão atingidas. "Fizemos todo esforço para que a medida não alcançasse regiões como Parque dos Faróis, os conjuntos residenciais Jardins e Taiçoca, em Socorro, o bairro Santa Maria, em Aracaju, e os núcleos habitacionais Eduardo Gomes e Rosa Elze, em São Cristóvão. É que a maioria das casas dessas comunidades não possui caixas em casa para armazenar água" relatou Max.

Dados da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) mostram que o rio Poxim está com uma vazão de 650 litros por segundo e o seu reservatório está liberando 800 litros por segundo para atender a demanda de 30% do consumo de Aracaju.

"Estamos monitorando o rio permanentemente e temos observado que, depois das chuvas caídas durante o Carnaval, ele vem baixando de forma mais lenta, mas no momento a situação preocupa porque as chuvas praticamente cessaram", disse ele.

As chuvas ocorridas em fevereiro aumentaram a vazão do rio para 930 litros por segundo, volume reduzido dias depois para 595 litros por segundo e elevado posteriormente para os atuais 650 litros por segundo. "A redução verificada no dia-a-dia é porque a Deso está tirando do reservatório 200 litros por segundo a mais do que o volume atual da vazão", explicou o diretor de Operações da Companhia, Sílvio Múcio Farias.