Sergipe

12/03/2009 às 15h29

Resolução pode tirar Almeida da Comissão de Orçamento

A permanência do senador José Almeida Lima como presidente da Comissão Mista do Orçamento vai depender da leitura que os parlamentares do PMDB fizerem de uma resolução que veta a participação de um parlamentar por dois anos seguidos na mesma Comissão.

Redação Portal A8

Uma resolução da Comissão Mista de Orçamento (CMO) pode acabar com a festa do senador Almeida Lima (PMDB-SE) e inviabilizar a indicação do líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), para que ele comande a importante comissão. A resolução veta a participação do parlamentar na CMO por dois anos seguidos. De fevereiro a abril de 2008, Almeida Lima foi membro suplente, e, na opinião inclusive de colegas que apoiaram sua indicação, ele só poderia ser presidente da CMO se a resolução fosse mudada.
"É verdade, a resolução proíbe. Mas nunca fui, de fato, da Comissão de Orçamento. Eu posso não querer participar em um ano, e, no outro, sim. Isso não tem nada a ver"
O argumento do líder e do próprio Almeida Lima é que ele nunca compareceu às sessões da comissão.
"É verdade, a resolução proíbe. Mas nunca fui, de fato, da Comissão de Orçamento. No dia 3 de fevereiro foi enviado um ofício com meu nome para integrá-la. Mas eu não queria, decidi não participar dela. Simplesmente não havia interesse meu em participar do Orçamento, porque estava em outras comissões. No dia 2 de abril, o líder encaminhou outro ofício anulando minha indicação", alegou Almeida Lima. "Eu posso não querer participar em um ano e, no outro, sim. Isso não tem nada a ver".
Na quarta, em reunião da bancada, ele correu lista para que os senadores apoiassem a indicação de Renan. Só não assinaram, segundo o senador sergipano, o presidente do Senado, José Sarney (AP), e Jarbas Vasconcelos (PE). Renan não discutiu o veto:
"Quer dizer que quem não comparece é premiado com o cargo de presidente? Já indiquei o senador Almeida Lima. Quem decide se pode ou não pode não sou eu", disse Renan.
Apesar do documento de apoio, até no PMDB há questionamentos sobre a legalidade da indicação.
"O Renan está dizendo que não tem problema porque o Almeida foi indicado, mas nunca foi lá, não se consolidou como membro. Quer dizer que não comparece é premiado com o cargo de presidente?", reagiu o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN).

Fonte: Agência Globo