Sergipe

12/03/2009 às 11h35

Sintese vai denunciar irregularidades na folha de pagamento da Educação

Redação Portal A8

 

Revoltados com a falta de posicionamento do governo do Estado, no que se refere ao piso salarial, professores resolvem continuar de braços cruzados (Douglas Magalhães)

Os professores da rede estadual de ensino entraram hoje (12) no quarto dia de paralisação com uma novidade: amanhã (13) realizam uma coletiva para a imprensa, quando vão denunciar e pontuar diversas irregularidades na folha de pagamento da Educação. "Vamos mostrar as ilegalidades existentes, com as devidas provas", afirma Francisco Andrade, diretor da executiva estadual do Sintese.

 

A coletiva está marcada para 8horas da manhã na sede da Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese), localizada à Rua Lagarto, 952.
Na manhã de hoje (12), os professores estiveram reunidos em assembléia geral para avaliar a reunião ocorrida ontem entre a comissão do Sintese e representantes do governo do Estado. "Na verdade, não houve o que avaliar porque o governo não apresentou qualquer proposta referente à implantação do piso nacional do magistério", disse Francisco.

A decisão da categoria é permanecer em greve por tempo indeterminado até que o governo acena com uma proposta que agrade e que atenda as necessidades dos professores, disse o sindicalista.

Após a assembléia geral, ocorrida no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, os professores saíram em caminhada pelas ruas do centro comercial de Aracaju, como forma de mostrar a sociedade o que vem ocorrendo na educação sergipana.

"É necessário que a população saiba o que está ocorrendo e perceba que a decisão de cruzar os braços foi à única forma encontrada pelos professores diante da falta de interesse do governo em negociar a implantação do piso salarial", explica Francisco Andrade.