Sergipe

12/03/2009 às 08h47

BNDES injeta R$ 250 milhões em projeto

Redação Portal A8

Um montante de R$ 250 milhões. Este é o volume de recursos financeiros destinado ao projeto ‘Sergipe Cidades`. O projeto prevê, por exemplo, a construção de creches, escolas técnicas, centros comunitários, delegacias, postos policiais, mercados municipais, terminais rodoviários, praças e ginásios de esportes, além de investimentos em infra-estrutura, como saneamento e pavimentação urbana.

Os recursos foram assegurados no dia de ontem (11) na assinatura de contrato entre o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e o governador Marcelo Déda.

Segundo Luciano Coutinho, o Governo de Sergipe buscou, "com uma filosofia inovadora, de buscar de baixo para cima através de investimentos em infra-estrutura econômica e social, mobilizar as comunidades, mobilizar os pequenos empresários e criar oportunidades". Na visão de Coutinho, o ‘Sergipe Cidades` deverá se transformar em modelo para outros estados. "É uma grande alegria poder apoiar Sergipe, que nos apresenta um projeto competente, muito bem articulado, e que, eu espero, se transforme num grande exemplo, daqui para frente, para atuação do BNDES nos estados".

Assessora direta da presidência do banco, Helena Lastres expressou igualmente seu contentamento com o projeto sergipano. "Eu quero agradecer Sergipe, pois o projeto vai ao encontro do que quer o BNDES". Segunda ela, que coordenou durante todo o dia reuniões técnicas entre as equipes do Governo de Sergipe e do BNDES, a proposta foi "muito bem elaborada", pois se preocupou em ouvir o usuário final das iniciativas e definir projetos pertinentes com as realidades locais. Na definição de Coutinho, a iniciativa "maximiza os efeitos positivos do projeto" ao fugir de propostas tradicionais entregues ao banco.

O ‘Sergipe Cidades` é fruto de muito planejamento e democracia, já que levou em conta a opinião de quase 25 mil cidadãos sergipanos reunidos em conferências territoriais. Outra condição indispensável para o sucesso da empreitada foi à condição fiscal privilegiada do estado, necessária para a obtenção do empréstimo. "Essa é mais uma prova de que valeu o sacrifício que fizemos para organizar as contas do Estado. Graças a esses ajustes, Sergipe hoje tem crédito", lembrou o governador Marcelo Déda.

Fonte/ASN