Sergipe

03/03/2009 às 19h44

Desabrigados da cidade de Maruim recebem as primeiras casas

Redação Portal A8

As mãos trêmulas e os olhos cheios de lágrimas revelavam a emoção da desempregada Maria José dos Santos em ter novamente uma casa. Moradora da cidade de Maruim, a desempregada perdeu o pouco que tinha na enchente que aconteceu em maio de 2008. Depois de ficar dez meses em um alojamento com os sete filhos, a casa de 36 m² será a nova moradia de Maria José. A desempregada foi beneficiada com a entrega das 14 casas feita pela secretária de Inclusão Social, Ana Lucia Menezes, nesta terça-feira(3). Ao todo, serão entregues 79 moradias construídas pelo Governo do Estado.

Desabrigados (Foto:MRodrigues)

"Só quem passa é que sabe o sofrimento que é. É muito difícil conviver com um monte de gente, ter que criar seus filhos morando com um monte de gente. Quando aconteceu a enchente, minha filha mais nova tinha só 16 dias", relembra Maria. A mãe de sete filhos já sonha com a primeira noite que irá passar em sua nova casa. "Vai ser a noite mais feliz da minha vida e dos meus filhos. Vai dormir só a gente".

Segundo a secretária Ana Lucia, alguns critérios foram adotados para escolha das primeiras famílias beneficiadas. "Demos prioridade aos idosos e selecionamos as famílias mais numerosas. Seis famílias foram escolhidas de acordo com esses critérios em ação conjunta da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social (Seides) e com a Secretaria de Ação Social do município. O restante das casas, nós sorteamos entre as famílias que atendiam a esses critérios", explicou a secretária.

Assim foi com o aposentado José dos Santos. Aos 76 anos, ele recuperou o direito de viver na própria casa. "Eu nunca pensei que ia passar por isso. Quando vi que tinha perdido tudo, achei que fosse o fim da vida. O dinheiro da aposentaria não dá pra nada. Ganhar a casa foi uma benção de Deus", opina o aposentado.

Investimentos

Para recuperar a dignidade das famílias atingidas, o Governo do Estado está investindo R$ 1.148 milhão na construção das 79 casas. Outros R$ 436 mil estão sendo destinados à infra-estrutura, como calçamento das ruas e esgotamento sanitário. Esta parte será executada em paralelo com a construção das outras casas. "Já estamos com todas as 65 moradias restantes licitadas. Acreditamos que entre 30 e 60 dias, dependendo das chuvas, mais 25 casas serão entregues", afirma o presidente da Companhia Estadual de Obras Públicas (Cehop), Joelson Hora.

O Estado também entregou a casa com mobília e diversos utensílios domésticos. Das canecas de água ao fogão, passando por uma cama de casal e duas de solteiro, colchões, lençóis, filtro, panelas, bacias, mesa, cadeiras, os beneficiados receberam todos os utensílios a partir de um investimento de R$ 362.039,50. "Todas as 79 casas contarão com esse material. É a primeira vez que os sergipanos recebem a casa já mobiliada", frisou a secretária Ana Lucia.

Desabrigados (Foto:MRodrigues)

Moradora do número 67, Regina dos Santos conheceu a casa e tudo o que tinha dentro dela. Ao lado dos dois filhos, Regina já avalia a conquista. "Gostei muito. O fogão, o colchão, a mesa, tudo é de primeira. Estou muito feliz com o que Governo fez pela gente de Maruim", disse. Maria Dória também comemorava ao lado dos filhos. "Já venho trazer a comida para cozinhar aqui. É a melhor coisa da minha vida voltar a ter a própria casa. Vou ser a pessoa mais feliz do mundo com meus três filhos e meu marido".

Segundo o secretário de Estado da Infra-estrutura, Valmor Barbosa, a partir de agora, o andamento do restante das casas se dará de maneira mais rápida. "Nós estamos otimistas que dentro de 30 e 60 dias entregaremos mais 25 casas. Parte do atraso porque parte do terreno é de terceiros, parte se deu por conta da não-liberação de recursos da União. Naquele momento de agonia, o governador saiu em busca do recurso para amenizar o problema, a demora foi grande e, para não ter maiores problemas, o próprio Estado aportou recursos para a construção de 79 casas. Quanto ao terreno, o Estado está fazendo as tratativas para aquisição para que a complementação das casas seja feita neste no mesmo local", explicou.

Assistência

Depois da enchente, o Governo prestou assistência aos desabrigados. "Equipes da secretaria passaram 45 dias no município. Toda a emergência foi feita pelas secretarias de Inclusão, Saúde, Infra-estrutura. Prestamos ajuda a limpeza das ruas ao atendimento emergencial para que não desencadeasse epidemias. Distribuímos colchões, lençóis, filtros, cesta de alimentos", relembrou Ana Lucia.

Segundo ela, o Governo continuará fazendo a entrega de cestas tanto para as famílias alojadas como para aquelas que receberam as casas. "São mais de 150 cestas mensais. As cestas para os alojados são entregues à Secretaria de Ação Social do Município. Já para as famílias que receberam as casas, as cestas serão entregues diretamente", reiterou Ana Lucia.

Fonte: ASN