Sergipe

27/02/2009 às 18h14

Menino apresenta melhoras, mas não há previsão de alta

Redação Portal A8

O garoto David Alves de Souza, de um ano e cinco meses, que está com dengue hemorrágica começa a reagir aos medicamentos. Na manhã desse sábado(28), ele apresentou uma melhora considerável. Segundo informações da assessoria de Comunicação do Hopsital de Urgências de Sergipe (Huse), ele está com uma aparência de criança gripada e em nada lembra o David que chegou ao hospital na última segunda-feira (22). "Ele chegou muito abatido, apresentava sangramento e estava com o abdomém muito alto. Com o tratamento ele está bem melhor, mas continua em observação, mesmo porque o  número de plaquetas ainda é considerado muito baixo", disse a assessora de comunicação do Huse, Katiane Menezes.

O estado de saúde do garoto, o primeiro com dengue hemorrágica no Estado, assustou a população que está preocupada com um possível surto da doença. Mas, até o momento, a situação em Sergipe, no que se refere ao registro dos casos de dengue está considerada tranqüila, segundo dados do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde.

De janeiro  até a última semana de fevereiro, houve a notificação de 142 casos, sendo que apenas 18 foram confirmados e, entre eles, somente um apresentou complicações. No mesmo período de 2008, a situação era bem diferente: 1.335 notificações e 942 casos confirmados nos dois primeiros meses daquele ano.

"Essa significativa diferença representa também o resultado do trabalho de prevenção iniciado no ano passado e ainda em andamento em todo o território sergipano", considera a gerente do Núcleo de Endemias da SES, Sidney Sá. Apesar do período de maior risco epidemiológico não ter passado, ela acredita que o registro de casos não deve crescer significativamente nos próximos meses.

No entanto, alerta Sidney, isso não quer dizer que todos devem cessar na rotina de combate aos criadouros do mosquito transmissor. "No caso do menino David, o local onde ele mora com família, na cidade de Lagarto, foi visitado recentemente por equipes da Vigilância Sanitária, a fim de conscientizar as famílias que moram na região. Mas para surpresa da equipe, que retornou ao local após a suspeita do caso de dengue hemorrágica, a maioria das casas tinha foco do mosquito. È preciso colaboração para que o combate seja eficaz", alertou.

Dados

Dos 166 acolhidos entre dezembro e fevereiro, no Centro Hospitalar de Assistência ao Paciente com Dengue, 37 foram procedentes de municípios como São Cristóvão (9), Nossa Senhora do Socorro (9), Barra dos Coqueiros (5), Aquidabã (3) e Cedro de São João (2). A maioria desses pacientes é da capital, mas como a unidade é referência para todo o Estado, pessoas oriundas do interior também vêm sendo beneficiadas.

Com informações da ASN