Sergipe

19/02/2009 às 16h16

Abastecimento em Aracaju será reforçado com carro-pipa

Redação Portal A8

O Ministério Público Estadual vai abrir um procedimento administrativo para apurar os reais motivos para o desabastecimento de água em toda Grande Aracaju. A promotoria quer saber se a irregularidade é por conta da baixa na Bacia do Rio Poxim, devido à escassez de chuvas, ou se a situação é, na verdade, decorrente de possíveis investimentos que foram prometidos, mas que não foram feitos pelo governo do Estado.

Na reunião de urgência convocada pelo Ministério Público na manhã de hoje (19), técnicos da Deso afirmaram que vão reforçar o sistema de abastecimento de água em Aracaju neste período de rodízio com carros-pipa. Atualmente, o órgão trabalha com cinco veículos que são direcionados para suprir as reservas dos hospitais da cidade. Outros cinco serão alugados para amenizar o sofrimento da população nessa fase de longa estiagem.

De acordo com a promotora de Justiça, Euza Missano, a população deve ficar alerta no sentido de evitar consumir ou adquirir água de procedência duvidosa. "Os carros-pipa da Deso serão plotados, ou seja, terá a identificação da empresa. Além disso, a população não deve consumir água de poço por não ser tratada. É um risco à saúde", ressalta a promotora.

A Deso também se comprometeu em disponibilizar mais linhas telefônicas para que a população possa entrar em contato com o órgão com mais facilidade. "Essas linhas visam resolver o problema mais rápido, havendo assim uma melhor interação entre os consumidores e a Deso", explica a promotora de Justiça.
"O telefone 08000790195, que funcionará 24 horas, e 3226-1024, até as 18 horas, para que a população possa estabelecer os contatos necessários", afirmam técnicos do órgão estadual.

A qualidade da água também será monitorada de perto pelo Ministério Público. "A Deso terá que fazer a análise antes de liberar para os consumidores. Hoje a água está chegando com uma coloração amarelada nas torneiras. É um produto impróprio para o consumo. O órgão terá que buscar meios para melhorar essa qualidade", determina à promotora.