Política

18/06/2019 às 18h21

G4 faz fiscalização no Huse

Assessoria de Imprensa do Parlamentar

Os deputados da oposição que compõem o G4 – Kitty Lima (Cidadania), Samuel Carvalho (Cidadania), Rodrigo Valadares (PTB), e Georgeo Passos, (Cidadania) – realizaram

mais um trabalho de fiscalização. Na manhã desta terça-feira (18), os parlamentares estiveram no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) para avaliar as condições de atendimento e prestação de serviço na unidade de saúde. 

Acompanhados do superintendente do Huse, médico Darcy Tavares, os parlamentares visitaram todos os setores da unidade, e o que eles encontraram no principal hospital do Estado foi um cenário de dificuldades para os pacientes internados e também para seus acompanhantes: alas superlotadas, falta de profissionais suficientes para atendimento e mínima estrutura que garanta o conforto necessário ao usuário do serviço de saúde pública em Sergipe. 

Pediatria

A deputada Kitty Lima se mostra bastante preocupada com a situação da pediatria. “Como mãe, parlamentar e cidadã, é de cortar o coração a gente ver crianças sentadas em uma cadeira esperando um local para fazer seu tratamento. Mães que ficam esperando respostas para resultados de exames e que muitas vezes não conseguem nem entender direito o que seu filho tem”, afirma. 

O deputado Samuel Carvalho relata outro problema encontrado na pediatria. Durante a fiscalização, o parlamentar verificou que somente um médico estava presente no local para realizar o atendimento das crianças. “É uma situação muito preocupante. A informação que recebemos é que era para ter uma troca de turno, mas não ocorreu. Com isso, onde deveriam ter três médicos havia somente um. O resultado é uma longa espera dos pacientes”, denuncia. 

Já o deputado Rodrigo Valadares diz que ficou chocado com a superlotação na Ala Azul. “É um mar de gente e condições precárias de atendimento. É uma superlotação que não deixa o serviço de saúde ser corretamente aplicado”, analisa. O parlamentar indica que um dos responsáveis por esse problema é a gestão nos municípios. “A baixa complexidade que deveria ser resolvida no município é hoje enviada para cá”, critica. 

O deputado Georgeo Passos revela que os pacientes oncológicos reclamaram a falta de uma entrada de urgência específica. Hoje, eles são direcionados para a urgência comum do Huse, esperando por uma triagem e expostos ao risco de contaminação por outras doenças. “É uma demanda crítica. Pediremos a atenção da Secretaria de Estado da Saúde verificar de se ter uma entrada exclusiva para esses pacientes”, garante.


Fonte: Assessoria de Imprensa do Parlamentar